Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Trésors

Cultura

Luiz Carlos Merten

25 Fevereiro 2011 | 13h48

Mais um postezinho rápido. Daqui a pouco tenho uma entrevista internacional por telefone com Michelle Rodriguez, a Ana Maria de ‘Lost’ e a Luz de ‘Machete’. Quero comer rápido para falar com ela e depois correr ao cinemas para ver ‘Bruna Surfistinha’. Havia acrescentado o post sobre Deborah Secco no filme e o Jotabe me disse que, coincidentemente ou não, ela teve ontem uma cena ótima na novela ‘Insensato Coração’, de Gilberto Braga. Como não vejo, posso estar redigindo sem muita exatidão o que me narrou o Jota. Na tal cena, a personagem, que é meio biscate (outra Bruna?), vai comprar um vestido, escolhe um mini-mini, e deixa o Herson Capri siderado. Segundo o Jota, Deborah saiu-se muito bem, ironizando a própria imagem de símbolo sexual, o que soma mais pontos ao que parece que ela apresenta no filme que estreia hoje. Misturando as coisas, como gosto de fazer, quero dizer que ontem, passando pela Conselheiro Crispiniano, ao lado do Teatro Municipal, encontrei naquela loja de discos e DVDs um clássico – um cult – a preço de banana. ‘Fuga ao Passado’, Out of the Past, de Jacques Tourneur, estava à venda por ‘deiz real’. O filme é sobre esse ex-presidiário que descobre que não pode fugir ao passado quando seu ex-empregador e a amante o envolvem numa trama de assassinato. Robert Mitchum, Kirk Douglas e Jane Greer formam o triângulo e o filme é considerado um marco da tendência noir. Em Paris, em janeiro, ‘Pendez Moi Haut et Court’, o título em francês, estava em cartaz no Action Christine, no ciclo ‘Les Trésors de la RKO’. Não resisti e fui rever, até porque nunca havia assistido a ‘Fuga ao Passado’ no cinema. Vi outro filme, e não apenas pela telona nem pela qualidade impecável da cópia. Num texto  mimeografado sobre os filmes do ciclo, Jacques Lourcelles, acho que era ele, dizia que ‘Out of the Past’ é o melhor prova que ninguém pode dizer que conhece um filme integralmente. O filme é tão rico em nuances, em ressonâncias misteriosas que, a cada nova visão, descobre-se um filme novo. Senti-me assim e espero que, se comprarem o DVD, aproveitando a pechincha, vocês experimentem a mesma sensação. Para misturar mais as coisas, já que escrevi ‘Les Trésors de la RKO’ (o estúdio)., não resisto a acrescentar o que li na revista de bordo da Air France. Penelope Cruz está na capa, antecipando a sortie (o lançamento) de ‘Piratas do Caribe 4’, em maio. Penelope é a cara da Lancôme. Ela diz que ‘Trésor’ era o perfume preferido de sua mãe e que cresceu sentindo aquele aroma. Para completar, ‘tesoro’ é como Pedro Almodóvar a chama. Por tudo isso, Penelope diz que faria até de graça a propaganda de Trésor, o perfume da Lancôme, mas é muito bem paga pela maison.