Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » ‘Bourne’

Cultura

Luiz Carlos Merten

20 Dezembro 2009 | 11h14

Francisco Quinteiro, ex-‘Cultura’, aqui no ‘Estado’, apaixonou-se e está saindo do jornal – por isso o ‘ex’… – para viver sua história de amor com a Mila, repórter da Globo (e da Glonews) em Nova York. Fomos ontem, um grupinho, conhecer a Mila. Regina Cavalcanti, Dib Carneiro Neto, João Luiz Sampaio e eu. Fomávamos um grupo de sete, porque também havia a Renata, amiga da Mila, que é produtora do ‘Fantástico’. Enquanto esperava que me apanhassem em casa, de carro, comecei a ver na TV ‘O Ultimato Bourne’, de Paul Greengrass, que fecha a trilogia adaptada do best seller de Robert Ludlum. Já vi o filme N vezes, mas comecei a ficar angustiado – eles vão chegar e eu não vou conseguir ver até o fim. No final, meus ‘caroneiros’ – quem dá carona leva este nome, ou quem ganha? – demoraranm e eu pude ver ‘O Ultimato’ inteiro. É bom demais da conta, gente, como diria minhsa colega Camila Molina, em seu ‘mineirês’. O livro de Robert Ludlum já havia sido adaptado com Richard Chamberlain. Doug Lyman fez a nova adaptação e assinou o primeiro filme, ‘A Identidade Bourne’, formatando o herói de ação para o terceiro milênio. Matt Damon não tem, em princípio, o physique du rôle nem o carisma para fazer ‘o’ herói, mas é isso mesmo que ‘Bourne’ pretende. O filme tem cenas de ação extraordinárias e a perseguição em rabat, culminando no combate de punhos no interior do banheiro, e do box, é uma das grandes cenas de lutas do cinema. mas o que eu me amarro no filme é no outro embate – entre Joan Allen e David Strathairn, a diretora adjunta e seu colega da CIA, ela representando a legalidade, ele, o poder oculto (e manipulador) da era George W. Bush. Vou dizer o que a muitos parecerá heresia. Amo Meryl Streep, vocês sabem, mas acho que Joan é tãO boa atriz quanto Meryl, só não é uma estrela do mesmo quilate e isso dá à outra mais chances de exibir seu talento. A tensão entre Joan e Strathairn é para mim a coisa mais emocionante de ‘O Ultimato Bourne’ e quando ela consegue passar o fax com as informações, olha na cara dele e diz que acha melhor que procure um bom advogado, tenho vontade de aplaudir. Mal comparando, Joan seria a M de Bourne, como Judi Dench em relação a Daniel Craig (como 007). Gostei de ‘Cassino Royale’ e, um pouco menos, de ‘Quantum of Solace’, mas como ‘herói’ de ação na atualidade sou mais o Jason Bourne. P… filme ‘O Ultimato’.