Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » `The Help`

Cultura

Luiz Carlos Merten

27 Agosto 2011 | 20h00

NAPERVILLE – Foi muito estranho. Fui a outro shopping daqui, para almocar e ver filmes, fazendo hora para o meu retorno ao Brasil. O conjunto de salas chama-se Hollywood Palms e eh o mais bizarro que jah vi. A entrada simula uma trilha na selva e as salas sao decoradas como se fossem parte dessa selva, com direito a animais exoticos e cabecas decepadas (presumivelmente por cacadores de cabecas, ou serah uma metafora sobre o poder do cinema de nos levar aonde quiser, nas asas da fantasia?). Mas o mais curioso eh que nao existem poltronas, mas mesas. Eh um cinema para a gente sentyar e comer e beber assistindo ao filme. Escolhi `The Help`, que fui procurar e descobri que jah tem titulo no Brasil, `Vidas Cruzadas`. A distribuicao eh da Disney – aloh-aloh, Renata Galeano – e o filme trata de empregadas negras nos anos 1960. Segregadas, elas vao viver um momento transformador, como todos os afro-americanos, culminando na aquisicao dos tao sonhados direitos civis. No filme, uma garota branca que sonha ser jornalista resolve contar a historia da exploracao dessas afro-americanas. Uma das atrizes eh Jessica Chastain, a mae de `A Arvore da Vida`, de Terrence Malick, e o que posso dizer eh que gostei de ter visto `The Help`, de uma diretora que nem sei quem eh, Tate Taylor. Nao sei se alguma vez falei aqui de um filme que muito me impressionou, hah bem uns 20 anos, `Historia Americana`, de Richard Pearce, com Sissy Spacek e Whoopi Goldberg. A epoca e um pouco o clima sao os mesmos. Sissy eh a patroa branca, Whoopi a domestica. Eh obrigada a sentar-se na parte trazeira do onibus, reservada aos negros (nigger ou colored, segundo os cartazes). Hah um movimento parta cacabar com isso. Sissy e Whoopi marcham juntas pelos direitos dos negros. No filme de Tate Taylor, Sissy Spacek tem um papel bem bacana. Eh a mae de Bryce Dallas Howard e a filha representa o que hah de mais racista no sistema norte-americano. Sissy, de novo, personifica a compaixao. Tatye Taylor deve ter visto o velho filme de Pearce. Cansada de tanta humilhacao, a domestica, agora, faz com que Bryce coma merda, e a mae aplaude. Nao sos a mae. Naperville deve ser um reduto de alta classe media de Chicago. Nao havia nenhum negro na plateia, mas a observacao anterior nao eh em funcao disso, mas do que isso aqui oferece. Nunca vi uma plateia mais participativa. Havia mais mulheres. No final, todas aquelas madames e suas filhas aplaudiram. O cinema eh uma coisa curiosa/maravilhosa. Hah uma mistura de `Precious` com `A Cor Purpura` em `The Help`. Nao sei se o filme vai para o proximo Oscar, mas leva jeito. Dois papeis de atrizes negras, incluindo aquela que primeiro se prontifica a parrticipar do livro da protagonista, clamam por indicacoes para melhor coadjuvante. Voltei ao hotel e daqui a pouco o carro me leva para o aeroporto. Amanhah, espero estar em casa. Ateh!