Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » The best the could, o melhor que puderam

Cultura

Luiz Carlos Merten

22 Maio 2011 | 15h10

CANNES – E a Palma de Ouro do 64.o festival acaba de ser atribuida a…. Terrence Malick e sua `Arvore da Vida`. Naoh gosto particularmente do filme e torcia por outros concorrentes, mas o jurih presidido por Robert De Niro pelo menos fez a coisa certa atribuindo seu grande premio a Nuri Bilge Ceylan, por `Era Uma Vez na Anatolia` (dividido com os irmaos Dardenne). Errou ao ignorar Aki Kaurismaki e o maravilhoso `Le Havre`, mas acertou em cheio com dois impecaveis premios de interprertacaoh – para Kirsten Dunst, naoh se deixando levar pelo clima de repudio a Lars Von Trier, apos suas infelizes provocacoes (`Melancholia` eh um belo filme); e o magnifico Jean Dujardin de `O Artista`, de Michel Hazanavicius. Kirsten desabafou – `What a week`, Que semana! O premio de direcaoh foi para Nicolas Winding Refn, de `Drive`, que, por sua violencia e referencias (aa Tarantino e Scorsese), virou o queridinho da critica mais jovem. Naoh concordo com toda a premiacaoh, e lamento por Kaurismaki, mas quando saiu o primeiro premio – do juri, para `Poliss`, de Maiwenn -, achei que a coisa seria muitissimo pior. Entendi, a posteriori, o que disse De Niro ao chegar ao palais – `We did the best we could`, Fizemos o melhor que pudemos. E, ah sim, Marisa Paredes foi entregar o premio da Camera d`Or, que o jurih presidido por Jong Boon-ho atribuiu, acertadamente, ao filme argentino `Las Acacias`, de Pablo Giorgelli. Com os premios de interpretacaoh e o grande premio de Ceylan, a Camera d`Or salvou a noite.