Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Testemunha de Acusação

Cultura

Luiz Carlos Merten

13 Julho 2007 | 10h47

Rapidinho, porque cheguei no jornal e ainda não conseguiu iniciar os filmes na TV de amanhã, no Estado. Carlos Quintão – foste tu? – deu a boa nova sobre os lançamentos todos de Billy Wilder e eu já fiquei nos cascos pelo Avanti! e, principalmente, por Testemunha de Acusação, que já devo ter visto umas 30 vezes, mas revejo sempre com o mesmo prazer porque aquele elenco – Marlene Dietrich, Charles Laughton e Tyrone Power – é de sonho e eu curto aquele mistério de Agatha Christie como se fosse, sempre, a primeira vez. Charles Laughton era um ogro – pode ter sido o modelo para Shrek – e era gay ou, vá lá que seja, bissexual. A feiúra nunca o impediu de ser sedutor – seu Quasímodo, na versão de William Dieterle para o romance de Victor Hugo, O Corcunda de Notre Dame, é antológico – e sua mulher, a também atriz Elsa Lanchester, que havia sido a noiva de Frankenstein, nunca tentou impedi-lo de levar essa outra vida. Foram casados por 33 anos, entre 1929 e 62, quando ele morreu. Nunca havia feito a conta – que coisa, a idade de Cristo, o que me leva a imaginar que pode ter sido uma via-crúcis para ela, que o amava! O juiz do Laughton em Testemunha de Acusação, o senador Graco que ele interpretou para Stanley Kubrick em Spartacus e o político de Tempestade sobre Washington, de Otto Preminger, são criações de gênio do Laughton e ele ainda foi (grande) diretor de um só filme, fazendo, em 1955, o cult O Mensageiro do Diabo, com Robert Mitchum. A cena do barco é uma das mais hipnóticas do cinema e, se eu elogiei aqui, outro dia, a fotografia daqueles filmes italianos em preto-e-branco, por volta de 1960, não sei nem o que dizer sobre a de O Mensageiro do Diabo, assinada por Stanley Cortez. Há algo de poético e misterioso neste barco à deriva. As crianças dormem e o clima é de sonho, com imagens roubadas à vida noturna na floresta. Em E.T., Spielberg tentou reproduzir um pouco deste encantamento nas cenas do alienígena na floresta, mas filmou em cores e eu prefiro o PB de Charles Laughton e Stanley Cortez.