Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Semana italiana

Cultura

Luiz Carlos Merten

20 Setembro 2008 | 10h38

Já falei um pouco da Ornella e espero que vocês tenham lido a entrevista de ontem no ‘Estado’. Temos aí a Semana do Cinema Italiano e eu espero ver alguma coisa, hoje e amanhã. A Semana traz filmes do biênio 2007/2008, mas não aqueles que tenho citado – ‘Il Divo’, de Paolo Sorrentino, e ‘Gomorra’, de Matteo Garrone, mais ‘Meu Irmão é Filho Único’, ainda em cartaz – para dizer o que me parece indiscutível, que há um ressurgimento do cinema italiano. Há sete anos, quando entrevistei Ornella no Rio, no set de ‘Meu Filho Prtedileto’, que ela fez com direção de Walter Lima Jr., havíamos conversado sobre a decadência do cinema italiano e a perda de espaço no mundo, após a morte dos grandes mestres. Com Ornella esteve em São Paulo o ator Beppe Fiorello, um galã da TV italiana – parece que vai ter uma participação na próxima novela da Record – e ele me apresentou dados muito interessantes. Há sete anos, a partiocipação do cinema italiano no próprio mercado era de 6% e agora subiu para 23%. Percebem? É exatamente o inverso do que está ocorrendo no Brasil. Comentei o assunto com Ornella e ela me disse uma frase ótima – que o público italiano parece estar-se cansando de ver só TV e volta aos cinemas. Muito interessante, mas acho bom dar uma olhada nos novos filmes e dirertores da Semana do Cinema Italiano, embora a programação tenha inflado para acrescentar uma retrospectiva que comemora os 40 anos de ‘Veja’, mais um punhado de filmes dos anops 80. No total, vai dar para (re)ver ‘Antes da Revolução’, ‘Último Tango em Paris’, ‘A Noite de São Lourenço’, ‘Só Resta Esquecer’, ‘Giordano Bruno’, ‘Páginas da Revolução’. Muita gente – os jovens, principalmente – conhece esses filmes só de ouvir falar, ou do DVD e da TV paga, sendo essa uma oportunidade e tanto para vê-los na telona dos Cinemarks Iguatemi e Cidade Jardim, mais o HSBC Belas Artes, que sediam a programação. De todos esses filmes, o que mais amo é o dos irmãos Taviani, ‘A Noite de São Lourenço’, mas gostaria de (re)ver um Damiani da fase politica, ‘Só Resta Esquecer’, sobre o sistema carcerário. Vamos lá!

Encontrou algum erro? Entre em contato