Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Rebobinando Gondry

Cultura

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cultura

Rebobinando Gondry

Luiz Carlos Merten

17 Outubro 2008 | 18h03

Disse ontem que não queria furar no blog a informação que dou hoje no ‘Caderno 2’, pegando carona na exibição de ‘Rebobine, por Favor’, de Michel Gondry, na Mostra. Não havia me entusiasmado muito com ‘Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças’, mas em seu novo filme o Gondry finalmente me apanhou, com essa história do sujeito que, atingido por um raio, desmagnetiza as fitas de uma locadora e, desesperado, convoca os amigos para refazer de qualquer jeito os blockbusters que o público quer ver. O filme é maravilhoso, uma celebração da estética da paródia que não é muito diferente daquela que, nos anos 50, levou Carlos Manga a fazer ‘Nem Sansão nem Dalila’ e ‘Matar ou Correr’, desmontando os grandes filmes de Hollywood (‘Sansão e Dalila’, de De Mille; e ‘Matar ou Morrer’, de Fred Zinnemann). ‘Rebobine, por Favor’ é tudo, mas o plus a mais, como diria Daniel Filho, é que o próprio Gondry estará em São Paulo dia 1º de dezembro para o evento ‘Rebobine por Favor Exposição’, que já ocorreu em Nova York. Gondry montou uma exposição formada por oito ambientes que o público pode simplesmente visitar, mas ele também abre a possibilidade de que o visitante realize um pequeno filme. Para isso, as pessoas precisam se inscrever no site www.rebobineporfavorexposição.com.br. Existem ali as regras e os selecionados vão fazer duas oficinas – de planejamento e roteiro – com o próprio Gondry, porque o projeto não prevê edição e as pessoas terão de planejar muito bem o que vão filmar (com uma mini-DV).Já pensaram? Fazer um curso com Michel Gondry? Mesmo que você eventualmente não venha a ser selecionado, sugiro que corra logo a ver o filme. ‘Rebobine por Favor’ é um regalo para quem ama o cinema (e os filmes). Sei que não é todo mundo que gosta de Jack Black, mas ele está otimo. Até Mia Farrow arranja aqui um espaço e faz seu melhor filme na fase pós-Woody Allen.