Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Ramona e outras historias

Cultura

Luiz Carlos Merten

27 Novembro 2011 | 11h07

MONTEVIDEO – Roberto Alexandre pega carona no post com a indicacaoh que me fez o Samuel – a de que “E o Bravo Ficou Soh” estaria sendo apresentado ontem a noite na TV paga – para pedir que deh um voto de confianca a Martin Scorsese pelo “Hugo”. Hah tempos que ando desinteressado nos filmes de Martin, acho mesmo que a sua fase Leonardo DiCaprio eh mediocre – embora ele tenha recebido o Oscar por “Os Infiltrados”, que naoh vale o original de Andy Lau -, mas algo, com certeza, parece se passar em “Hugo”. Desde que vi o trailer estou nos cascos para ver o filme. No Brasil, estreia soh em janeiro, mas vou a Londres na primeira semana de dezembro e espero que o filme jah tenha entrado, ou esteja entrando, lah. Jah disse aqui, existe uma serie de filmes do “cinemaoh” que estou louco para ver neste fim de ano – “Hugo”, “Missaoh Impossivel 4” e o Spielberg, “Cavalo da Guerra”. Continuo aquino Uruguai, aonde vim com meu amigo Dib Carneiro Netopara assistira montagem da peca dele, “Salmo 91”, que teve na sexta sua ultima apresentacao.O diretor e o elenco saoh otimos, ficamos amigos e temos saido para jantar, “charlar” e tomar vinho (de preferencia, Tannat).Ontem, nos conseguiram ingressos – estavam esgotados – para que vissemos “Doña Ramona”, uma peca que virou cult no pais e que permite uma leitura metaforica em que a epoca em que passa a acaoh, 1906/07, vira o periodo pos-ditadura militar. O texto mistura elementos de Strindberg (“Senhorita Julia”), Ibsen (“Heda Gabler”) e O Neill (“Longa Jornada Noite Adentro”), mas a direcaoh e a interpretacaoh me deixaram chapado. Teatro realista, mas muito bem feito. Uma familia, tres irmas e um irmaoh. A mais velha eh a guardiah da casa, mas surge a jovem e carola Doña Ramona, que conquista o irmaoh e comeca a ditar as cartas, assumindo o controle da situacaoh. A mais velha sente o perigo. Solteirona, se o irmaoh se casar e tiver filhos, ela nao terah mais nenhuma importancia na casa (e na sucessaoh). O irmaoh e DoñaRamona ardem de desejo e Amparo, a mais velha, arma para que ela vire amante, como a velha empregada foi amante do pai e ficou confinada na cozinha. O final, com uma cena de bebedeira e estupro, eh de rara forca e o diretor Bolani (Jorge?) estreia na direcaoh, depois de sei lah quantos anos como ator. Inclusive, ele foi o protagonista da primeira montagem da peca. Tenho conversado com gente de teatro – um que outro faz cinema – e jah me enfronhei das idiossincrasias locais. Sairam os finalistas para o premio dos criticos. O “Salmo” nao ganhou nenhuma indicacaoh – nem a de melhor elenco, categoria que existe aqui. Pergunta daqui e dali descobri que os “criticos” naoh foram ver a montagem e, portanto, deixaram o elenco e a direcaoh do “Salmo” de fora. Criticos de mierda… Naoh consigo respeitar quem leva seu preconceito ou “conforto” ao ponto de desprestigiar o esforco de quem quer que seja. Posso naoh gostar, mas me sinto obrigado a ver tudo. E volta e meia me surpreendo, eh bem verdade que muitas vezes contra a corrente, mas essa eh outra historia. Naoh tenho visto muito cinema. Ontem fui ver “Happy Feet 2″ e, por uma questaoh de horario, assisti a versao em 2-D e dublada. Imagino o que seja a 3-D , porque a tecnica me pareceu prodigiosa e acena da”opera” eh demais. Hoje, pretendo ir a Cinemateca para assistir a um velho filme, de Lucas Demare, um dos pioneiros do cinema argentino. Os dias tem estado lindos em Montevideo. Muito sol, muita gente na praia, deliciosos sorvetes, que eu voltei a tomar, depois da minha (longa) pneumonia. Tenho uma materia do “Caderno 2” para fazer. Soh dei uma “noticiazinha”.