Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Que m…! (2)

Cultura

Luiz Carlos Merten

15 Abril 2009 | 16h38

Cérberus resolveu me dar uma aula de português a partir do post ‘Que m…!’ Sorry, mas vou ter de postar ‘Que m…!’ (2) Acho essa nossa língua tão complicada, e tenho tantas dúvidas depois da reforma ortográfica, que até aceitaria, humildemente, as críticas do Cérberus, mas fui me aconselhar com quem entende mais do que eu aqui no ‘Estado’, nossa superredatora Maria da Glória Lopes. Surpresa! Eu estava certo. Seria ‘salvo’, na abertura do post, se o verbo fosse ser ou ter. Com haver, é mesmo salvado. Aproveito, já que se trata do único texto que estou conseguindo postar hoje – meu dia está complicado -, para dizer duas ou três coisas sobre o Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro, atribuído ontem à noite, no Rio. ‘Estômago’, de Miguel Jorge, venceu filme, direção, roteiro e mais alguns prêmios, mas não o de melhor ator, que foi para Selton Mello, um dos seis que ‘Meu Nome não É Johnny’, de Mauro Lima, ganhou, a maioria deles técnicos. A academia, obviamente, investiu no cinema de autor, mas não quis ignorar o campeão de bilheterias do ano passado. Leandra Leal foi melhor atriz, salve ela!, por ‘Nome Próprio’, de Murilo Salles’; ‘O Mistério do Samba’, de Carol Jabor e Lula Buarque de Hollanda, foi o melhor documentário; e ‘Chega de Saudade’, de Laís Bodanzky, ganhou um prêmio – um! -, o de figurino. Sinto muito, pessoal da academia, mas o filme da Laís tinha coisas muito melhores para premiar (e não que os figurinos não merecessem). O problema é mesmo essa coisa de academia. Vejam a de Hollywood, quanta m… costuma premiar. Vejam que ‘Linha de Passe’, de Walter Salles e Daniela Thomas, indicado para oito prêmios, não ganhou nenhum. Na APCA, Associação Paulista dos Críticos de Arte, não outorgamos um melhor filme nem um melhor diretor. ‘Linha de Passe’ e ‘Serras da Desordem’, de Andrea Tonacci, foram os melhores filmes de 2008, ambos nas bordas da ficção e do documentário (o primeiro) e do documentário e da ficção (o segundo). Daniela e Walter recebem seus prêmios em São Paulo na terça, dia 28. Com todo respeito pela Academia Brasileira de Cinema, sou mais os prêmios da APCA.