Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Poderosa

Cultura

Luiz Carlos Merten

08 Março 2010 | 02h33

E Kathryn Bigelow fez história no Oscar. A ex de James Cameron ganhou os Oscars de filme e direção já na madrugada de segunda-feira, horário do Brasil, portanto no Dia Internacionsal da Mulher. Kathryn é a primeira mulher a receber o prêmio e isso não deixa de ser importante, mesmo que o cinema dela não seja exatamente um cinema de mulherzinha. Kathryn, não me canso de dizer, tem uma direção de cena viril e filma cenas de ação com propriedade. Se ela foi a grande vencedora do Oscar 2010, com os seis prêmios outorgados a Guerra ao Terror – além de filme e direção, também roteiro, montagem, som e  mixagem de som -, a festa teve um derrotado e foi justamente James Cameron, que amargou ver seu épico futurista, Avatar, novo recordista de bilheteria de todos os tempos, com quase US$ 3 bilhões arrecadados, ficar com três estatuietas apenas (melhor direção de arte, fotografia e efeitos visuais).  Os prêmios de interpretação para Jeff Bridges, Sandra Bullock, Christoph Waltz e Mo’Nique terminaram sendo unanimidades e todos, menos Christoph, foram aplaudidos de pé. Os coadjuvantes eram, desde sempre, minhas indicações favoritas, das quais não abria mão. Embora não fosse meu candidato, gostei que ‘O Segredo de Seus Olhos’ tenha recebido o Oscar de filme estrangeiro. A Argentina, pela segunda vez, chega lá. Um bom motivo para reflexão, numa conversa com o travesseiro. Como eles conseguem contar essas histórias embasadas na sua realidade e fazê-las universais? Estou indo embora para casa, mas a pergunta fica.