Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Permitido amar

Cultura

Luiz Carlos Merten

02 Outubro 2006 | 20h11

Não tenho tempo de entrar em detalhes, agora, mas mediei também, na tenda da Cinelândia, o debate com a equipe de Proibido Proibir. Jorge Durán, 20 anos depois de A Cor do Seu Destino, fez outro filme maravilhoso. Como pudemos ficar tanto tempo privados do seu olhar, do seu talento, da sua generosidade? O filme é muito bem interpretado por Caio Blat, Maria Flor e Alexandre Rodrigues. Durán adora dirigir atores. Caio confessou que Durán, mais que qualquer outro diretor com quem trabalhou, sabe criar as condições para a explosão dos atores. É uma história de amizade, de triângulo amoroso, no quadro da exclusão social que caracteriza o Brasil atual. É um desafio que o próximo governo terá de enfrentar, disse o diretor. E ele acrescentou – por novo governo, quer dizer Lula, de novo.