Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Perdão, Felipe

Cultura

Luiz Carlos Merten

06 Julho 2008 | 10h09

PAULÍNEA – Felipe Brida me pede uma opinião que não posso dar, a propósito do post sobre a bad girl Isabelle Adjani. Ele pergunta o que acho de um filme que considera estranhíssimo – ‘Possessão’, do polonês Zbigniew Zulawaki. O filme valeu a Adjani o prêmio de melhor atriz em Cannes, após seu estouro em ‘A História de Adèle H’, de Truffaut. Nunca o vi, não me perguntem por quê. Já vi cinema ‘pra burro’, como se diz no Sul – ia escrever demais, mas seria inexato; para mim, nunca é demais ver filmes -, mas o Zulawski deve ser o diretor estabelecido, de prestígio consolidado, que menos conheço no mundo. Assisti a apenas um filme dele, o ‘Contos Imorais’, sobre a lendária Condessa Batory, tão sedenta de sangue quanto o próprio Drácula, e cujo mito – como o de Vlad, o Empalador – está na essência do terror inspirado pelos vampiros. ‘Contos Imorais’ tinha belas imagens e até sexo explícito, numa época em que ele ainda era ‘proibido’. No elenco, estava Paloma Picasso, a filha rebelde de Pablo, que virou designer e perfumista. Não me impressionei muito, nem com ela nem com o filme, que me pareceu um subproduto de Pasolini (‘Decameron’ e ‘Os Contos de Canterbury’), mas pode ser que tenha me enganado, pois muita gente que respeito é fascinada pelo universo erótico (e fantástico) de Zulawski. Ele foi viver na França, casou-se com Sophie Marceau e viveram felizes after ever – pelo menos ainda acho que estão casados. Sophie, um mulherão, é tão discreta que nada sei sobre a vida dela, exceto o que vejo nos filmes. Sei que ela própria fez um curta elogiado e está no novo filme de Jean-Paul Salomé, meu colega no júri da Caméra d’Or, em Cannes, sobre as mulheres na Resistência francesa. Já me disseram até – alguns amigos franceses – que ‘Les Filles de l’Ombre’ é bom, mas não consegui checar. Sobre ‘Possessão’, propriamente dito, nada tenho a dizer, exceto responder ao Felipe com outra pergunta – o tal monstro que envolve Isabelle no cartaz do filme, não sei se uma projeção dela ou ‘real’, é uma criação de um artista famoso, mas qual? Giger, que fez Alien, ou Carlo Rambaldi, do ET?

Encontrou algum erro? Entre em contato