Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Pela metade…

Cultura

Luiz Carlos Merten

09 Abril 2009 | 13h44

PORTO ALEGRE – Pela procedência, vocês já sabem onde estou. Em Porto, um dia de muito sol, calor. Vim pelo feriado de Páscoa, fico o fim de semana. Fui ontem à noite ao CineSesc para a abertura da mostra Melhores do Ano, que oferece aos cinéfilos a chance de rever os destaques do ano passado. É a 35ª edição do evento, que começou sob a ditadura. Um doumentário especialmente produzido para ontem contou suas origens e como a mostra Melhores do CineSesc rapidamente se converteu num instrumento de combate à censura. Quando cinemas ‘especiais’ foram liberados para exibir filmes ‘de arte’, ou políticos, a sala da Augusta, que já existia, ganhou em peso e importância e lá está até hoje. Vocês já devem saber os premiados – ‘Linha de Passe’, ‘Estômago’, João Miguel, Leandra Leal (‘Nome Próprio’), Sandra Corvelone etc. Passei perla sala para abraçar Matheus Nachtergaele, que mostrava em pré-estréia ‘A Festa da Menina Morta’ e Matheus está feliz da vida porque o filme finalmente entra em cartaz em 12 de junho, um ano e um mês após sua revelação internacional em Cannes. Minha primeira sensação diante da festa foi de ‘estranhamento’. Achei que não tinha gostado do filme, mas depóis o revi muitas vezes e fui gostando cada vez mais. Belo filme, corajoso, intenso. Encontrei também Daniela Thomas, que co-dirige (com Walter Salles) ‘Linha de Passe’, que a APCA considerou o melhor filme brasileiro de 2008, dividido com ‘Serras da Desordem’, de Andrea Tonacci. A festa da APÇCA será dia 27, lamentavelmente na mesma noite de inauguração do Festival do Recife, o Cine PE. O que faço, para onde vou? Daniela ia co-dirigir o filme de estreia de Felipe Hirsch, rodado em Brasília, sobre o qual tenho ouvido referências ótimas. Não conheço ninguém que tenha visto o filme, somente promos, mas quem trabalhou põe a maior fé no projeto. Tomara que se concretize. De volta a Daniela, faltando quatro dias para o início da filmagem, ela teve um piripaqui – nunca escrevi a palavra, é assim? – e teve de abandonar a produção, mas sua contribuição havia sido tão grande que parece que vai ganhar um crédito: um filme (qual é o título?) de Daniela Thomas e Filipe Hirsch, realizado por Felipe Hirsch. Perguntei pelo irmão, Antônio Pinto, e Daniela me disse que ele acaba de fazer a música do novo filme da diretora de ‘A Encantadora de Baleias’. De novo não sei o título, nem o nome dela. Eta, postezinho pela metade, mas eu valido assim mesmo porque sei que vocês adoram pesquisar para coimpletar as informações que me faltam.