As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Oscar, César, Spirit, Framboesa. Que fim de semana!

Luiz Carlos Merten

03 Março 2018 | 10h52

Fizemos ontem um live sobre Oscar no Caderno 2. Os Pedros, João Paulo Assis, as garotas e eu. Foi meio anárquico mas divertido. Para o meu gosto, está sendo um Oscar estranho. Daniel Day-Lewis ganhou três vezes e agora que merecia a quarta estatueta, não vai levar. Quem leva é Gary Oldman, por um Churchill que não bate na canela do de Brian Cox, que não foi indicado. Sebastian Stan também não foi indicado para melhor coadjuvante – por Eu, Tonya. Allison Janney leva coadjuvante pela mãe de Tonya, mas Laurie Metcalf, a mãe de Lady Bird, talvez seja melhor que ela e Leslie Manville, a irmã de Daniel Day-Lewis em Trama Fantasma, é a melhor de todas e tenho para mim que é melhor em todas as categorias de interpretação deste ano, o que inclui o próprio Daniel. Os melhores filmes não vão levar – Dunkirk, prêmios técnicos, talvez; Me Chame pelo Seu Nome, melhor roteiro adaptado; e Eu, Tonya nem concorre na categoria principal. Mas, enfim, cada um tem/terá seu Oscar, todo mundo reclama, os cães ladram, a caravana passa e amanhã estaremos, estarei, ligado na cerimônia. Ontem à noite já houve o César, o Oscar francês, mas quem se importa? 120 Batimentos, de Robin Campillo, ganhou melhor filme, roteiro original, ator coadjuvante, ator revelação e sei lá o que mais. Seis prêmios! Sem Amor, também indicado no Oscar, foi o melhor filme estrangeiro. Hoje à noite tem o Spirit, o Oscar dos independentes. Os cinco indicados para melhor filme são – Me Chama pelo Seu Nome, Corra!, Lady Bird, The Rider e Projeto Flórida, que estou querendo ver neste sábado. É o filme do Oscar que ainda me falta, entre os que estão em cartaz em São Paulo. E neste sábado tem também a Framboesa de Ouro. Os piores dos piores! Baywatch – S.O.S. Malibu, Transformers – O Último Cavaleiro, Emoji, A Múmia, Cinquenta Tons Mais Escuros (e o de Liberdade?), quem leva o prêmio de pior filme? Voto por A Múmia, mas Tom Cruise jamais será meu pior ator. A honra cabe a Johnny Depp, por A Vingança de Salazar, assim como Javier Bardem é o imbatível pior coadjuvante, por Salazar e Mãe! Vejam que é um fim de semana ‘intenso’ em matéria de premiações.