Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Os vampiros de Park Chan-wook

Cultura

Luiz Carlos Merten

15 Maio 2009 | 14h17

CANNES – Mentiria se dissesse que gostei de `Thirst` como gostei dos filmes precedentes de Park Chan-wook, `Oldboy` e o muito estilizado e, por isso mesmo, fascinante `Lady Vengeance`. Achei `Thirst – This Is My Blood` muito longo e nao consegui entrar no humor bizarro com que o diretor reinventa o cinema de vampiros. Claro que o filme tem coisas insolitas e ateh otimas. O vampiro eh um padre que comete todo tipo de transgressao, mas se mantem fiel ao preceito da `compaixao` pelas vitimas, o que o faz escolher suicidas ou, entao, um sujeito que estah em coma e de quem ele se deita debaixo da cama no hospital para sugar o sangue com o mesmo canudinho pelo qual o paciente recebe medicamentos. Nunca vi cena de sexo mais demente. O casal se lambe de todas formas, ele chupa o dedao do peh dela, a mulher chupa o polegar e o indicador do parceiro. Por ai vai a coisa. agora, o que tudo isso significa como visao de mundo me pareceu meio pobre. A forma prevalece sobre o significado etc. Ja disse que o filme sera distribuido no Brasil pela Paris. Minha expectativa estah agora no coreano da mostra Un Certain Regard, `Mother`, Mae, de Bong joon-ho, que a Paris tambem estah negociando para legvar para o Pais. Desculpem-me pela falta de acentuacao e pelo recurso ao H final para designar o acento agudo. Mas achei que voces gostariam de saber logo das coisas.

Encontrou algum erro? Entre em contato