Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Os pais de ‘Romeu e Julieta’

Cultura

Luiz Carlos Merten

08 Outubro 2007 | 16h04

Acho que não acrescentei, no post anterior, que ‘Cinderela em Paris’ já havia sido lançado em DVD, pela Paramount, na Coleção Audrey Hepburn. O lançamento é agora solo, edição especial, para colecionador. Mais duas novidades à retaguarda, para quem curte os clássicos de Hollywood. A Warner está lançando duas adaptações de Shakespeare. Vamos à primeira – ‘Romeu e Julieta’, a versão de George Cukor, de 1936, com Norma Shearer e Leslie Howard. Conta a lenda que o produtor Irving Thalberg – aquele que dá nome a um prêmio que a academia distribui todo ano, um Oscar honorário – fez este filme como um presente para sua mulher, Norma Shearer. Decorridos mais de 70 anos, três ou quatro vezes a idade média do espectador de cinema de hoje, podem-se contar muitas outras adaptações da tragédia lírica, feitas por Paul Czinner, Renato Castellani, Franco Zeffirelli e Baz Luhrmann, sem contar as 1001 variações da mais famosa tragédia de amor de todos os tempos. A história curiosa é que Thalberg teria chamado um especialista em Shakespeare com a ordem expressa de proteger o bardo dele – e de Hollywood. Thalberg sabia que estava atropelando o autor. Afinal, Norma Shearer, na época, já tinha idade para ser mãe de Julieta e Leslie Howard, por melhor ator que fosse (‘…E o Vento Levou’), já tinha cara, senão idade, para ser avô de Romeu. Em seu guia de filmes, o americano Leonard Maltin diz que ambos, Norma e Howard, são tão bons que a gente ‘quase’ se esquece da idade. Ainda bem que ele disse ‘quase’. A idade dessa versão de ‘Romeu e Julieta’ está na cara dos atores, mas Cukor, que virou depois um grande do musical, já exercitava aqui o gosto pela cenografia que, mais tarde, somado ao desenvolvimento da cor, resultou no apogeu do gênero cantado e dançado. Realizado em impecável preto-e-branco, o filme toma, como referência para o figurino, quadros de Boticcelli. O bom-gosto impera (e a cena do baile antecipa o Cukor diretor de musicais). Pena que a idade dos atores não ajude.