Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » `Os Impiedosos` de Ridley Scott

Cultura

Luiz Carlos Merten

22 Outubro 2008 | 13h56

LOS ANGELES – Preciso voltar logo a Sao Paulo – embarco daqui a pouco – para repor todos os acentos a que temos direito. Gloria Leite me esculhambou legal, mas nao sei se o comentario dela foi validado nem o do Jose Nepomuceno, que ameaca ir embora do blog depois de me acusar de americanizado, porque escrevo eh e dah querendo substituir a acentuacao que me falta. Jah expliquei, vou insistir no H para substituir o acento agudo, que nem com ajuda do tecnico do hotel consegui colocar a pontuacao e acentuacao corretas neste computador e eu nao resisto a ir logo postando algumas novidades. Mas, Nepomuceno, teu comentario me fez viajar no tempo. Antigamente, quando nao havia internet e eu trabalhava na editoria de `Mundo` na Zero Hora de Porto Alegre, recebiamos as noticias internacionais, de agencia, via telex e elas eram traduzidas deste jeito. A primeira fez que fui ao Festival de Veneza, em 1991, a gente tinha dfuas opcoes – redigia em maquinas de datilografar e enviava por fax, ou entao redigia diretamente no telex. E a gente redigia assim. Confesso que nao sei como se redigi no – eh no ou na? – orkut, e alias, minha filha disse que eu tenho uma comunidade no tal ou na tal orkut. Eh verdade? Gloria e Nepomuceno vao poder me esculhambar aa vontade (o duplo a nao dah licenca para matar, mas substitui a crase). Enfim, estah terminando e eu volto a escrever direito amanha. Fui ver ontem `Body of Lies`, o novo Ridley Scott, com Leonardo DiCaprio e Russell Crowe, producao da Paramount Vintage que, imagino, vah ser distribuido pela Paramount no Brasil. Ateh a metade do filme estava em panico, pensando com meus botoes se nao teriam razao os coleguinhas que chamaram o Scott de `reacionario` quando ele fez `Falcao Negro em Perigo`, que eu acho que soui o unico ou, pelo menos, um dos raros a defender. DiCaprio faz um agente da CIA que trabalha em campo na Jordania, na Siria, no Iraque etc. Crowe eh seu superior em Langley, monitorando todos seus atos aa distancia, por satelite. O filme estava me parecendo a coisa mais reaca do mundo, mas de repente comecou a fazer sentido. Ridley Scott refez `Os Impiedosos` (Madigan), de Don Siegel. Lembram-se? Richard Widmarjk e seu parceiro representavam a urgencia da policia nas ruas de Nova York. Henry Fonda era o burocrata, que via tudo de longe. Aqui, eh como se `Madigan` estivesse interceptando a `Cruzada`, do proprio Ridley Scott, com um personagem, o xeque responsavel pelo servico secreto da Jordania, que eh o verdadeiro personagem central do filme, alem de parecer a encarnacao do sultao do epico anterior. O filme eh muito interessante como discussao sobre o `outro`, sobre quem, afinal, podem ser os aliados dos EUA na guerra contra o terror e quem sao os inimigos. Hah um emulo de Obama em cena, mas ele nao eh mais perigoso do que o burocrata Crowe. Vou precisar rever o filme, que tem um dialogo feito artilharia. Perdi algumas coisas, mas do que consegui captar o filme deu um noh na minha cabeca.