Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » O Gângster

Cultura

Luiz Carlos Merten

09 Dezembro 2007 | 13h12

Vocês já devem ter percebido que ando muito reticente quanto a falar sobre ‘American Gangster’, de Ridley Scott, que vai ser lançado aqui em janeiro, com o o título de ‘O Gângster’. O problema é que vocês andam me cobrando e eu tenho de dizer alguma coisa. É filme para Oscar, com certeza, e eu estou curioso para saber quem será indicado para melhor ator? Denzel Washington? Russell Crowe poderá concorrer por ‘3:10 to Yuma’? Será indicado como coadjuvante por ‘O Gângster’? O filme de Ridley Scott até certo ponto me lembra ‘O Informante’, de Michael Mann, que tinha dois papéis masculinos fortíssimos, mas só Russell Cowe foi indicado (e perdeu para o Kevin Spacey de ‘Beleza Americana’). Aqui, acho que vai ser o Denzel, embora Russell Crowe seja tão protagonista quantro ele. Não é segredo para ninguém que eu gosto de Ridley Scott e chego a defender ‘O Bom Ano’, que foi saco de pancada para tanta gente. Gostei de ‘O Gângster’, mas o filme me desconcertou e, num certo sentido, decepciopnou. O roteiro de Steve Zaillian cria esses dois personagens fortes – o gângster negro e o policial, Denzel Washington e Russel Crowe. Ambos, em campos opostos, são apresentados como iguais – profissionais, obsessivos, éticos (mesmo que a ética de um seja a da legalidade e a de outro, a do crime). Durante todo o tempo, já que são tão iguais – e enfrentam a corrupção da polícia, cada um à sua maneira –, a gente fica (eu fiquei) se perguntando o que vai ocorrer com dois? Vão se confrontar, e matar, ou unir? Meu problema com o filme – e por isso acho que tenho de revê-lo antes de formar uma opinião definitiva – é que não tive empatia nenhuma pelo personagem do Crowe. Devia ser intencional, por parte do roteirista e do diretor, fazê-lo antipático, só que o recurso não funcionou comigo no desfecho. O filme é forte, mas, de alguma forma, o final não me satisfez. Sinto que este post está muito cifrado. O que estou dizendo só vai fazer sentido quando todo mundo tiver visto ‘O Gângster’. Tinha altíssima expectativa, mas não achei um grande Ridley Scott.