Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Ó céus!

Cultura

Luiz Carlos Merten

22 Novembro 2009 | 22h47

Nem li se aquele post sobre Roman Polanski – ‘O Inquilino’ – teve alguma repercussão, se alguém postou algum comentário. Sei que estava saindo do jornal para almoçar e ir ao CCBB, para ver a peça ‘Hamelin’, e me deu de passar pelo arquivo do ‘Estado’ para olhar a pasta de meu amigo Roman. Que pedante, não? O fato de havê-lo entrevistado tantas vezes, e Polanski ter sido sempre caloroso comigo, não me faz seu amigo. É só modo de dizer. Encontrei um texto datado de 9 de agosto de 1977, no qual Polanski, interpelado no tribunal de Los Angeles, se declara culpado de ‘atividades sexuais ilícitas’ com a menor de 13 anos. O texto deixa claro que, ao assumir uma das seis acusações de que estava sendo responsabilizado, Polanski se livrou das outras cinco – sodomia, estupro com uso de drogas, perversão sexual e conduta imortal com uma menor de idade. A identidade da garota era preservada – e só foi revelada depois que ela completou 18 anos – e o relato da jovem e sua mãe diz que ela foi atraída à casa de Jack Nicholson, que não estava no local, por Polanski, sob a alegação de que queria tirar fotos da garota para uma revista francesa de moda, mas na verdade ela foi drogada e molestada sexualmente. Confesso que sabia vagamente da acusação, mas nunca havia lido nada tão minucioso sobre o assunto. O que li me abalou. Polanski assumiu, naquele tribunal, uma culpa que poderia condená-lo a 50 anos de cadeia, se o caso fosse a júri popular. O cara está velho, debilitado, mas o caso não prescreveu e, portanto… Fiquei deprimido ao ler o recorte. Polanski teria dito ao juiz que não considerava o episódio com a garota mais dramático do que tudo que lhe ocorreu na vida. Sobreviveu a uma infância brutal, ao nazismo, viu a mulher – Sharon Tate – ser morta (e grávida!) por Charles Manson e seus adoradores do Diabo. Tudo isso é terrível, mas o episódio com a garota pode vir a ser o incidente mais dramático da vida dele. Essa história me arrasou, principalmente depois de ter visto ‘Hamelin’. Leiam no próximo post.