Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » O carinho de Charlotte por Suely

Cultura

Luiz Carlos Merten

29 Setembro 2006 | 13h30

Já falei da Charlotte Rampling, mas, na pressa, esqueci um detalhe muito importante. Charlotte viu ontem à noite, na Première Brasil, O Céu de Suely. Amou o filme de Karin Aïnouz. “É muito sensível, muito delicado, obra de um verdadeiro diretor de cinema”, definiu. Ela também se deslumbrou com Hermilla Guedes, que faz Suely, a prostituta que rifa o próprio corpo, convencida de que será menos prostituta deitando-se com um só homem, em vez de vários, para ganhar o dinheiro de que necessita. “É uma atriz maravilhosa, que não precisa de palavras para se expressar. O que ela faz com o corpo diz tudo.” O elogio de uma atriz tão cult quanto Charlotte não representa pouco, mas Aïnouz me disse que, no Festival de Veneza, Hermilla já foi tratada como estrela. As pessoas gostaram muito dela. E houve até quem lembrasse de A Rifa, o episódio de Vittorio De Sica para Boccaccio 70, com Sophia Loren.