Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Nos cascos

Cultura

Luiz Carlos Merten

29 Agosto 2011 | 11h47

Para mostrar os efeitos devastadores da guerra, Akira Kurosawa reduziu a intensidade dos combates finais de ‘Kagemusha, A Sombra do Samurai’ ao som, filmando a cena do ângulo dos olhos do personagem de Tatsuya Nakadai e de seus generais. Depois, ele fez uma panorâmica sobre a paisagem – e a câmera revelava um cenário de corpos destroçados e de cavalos mortos ou agonizantes. Lembrei-me dos cavalos de Kurosawa ao assistir ao trailer de ‘The War Horse’. Aleluia! Teremos dois novos filmes de Steven Spielberg neste final de ano. Um é ‘As Aventuras de Tin-tin’, baseado no personagem de Sempé e feito em motion capture, e o outro é o filme adaptado do livro de Michael Morpurgo, sobre a ligação entre um recruta e seu cavalo, durante a 1ª Guerra. ‘Tin-tin’ pode até vir a ser uma obra-prima, mas o visual do trailer não me convenceu muito, nem ao meu amigo Jotabê Medeiros. Em compensação, ‘The War Horse’, que maravilha! Ou eu me engano ou aquela foi a última guerra da qual participou a Cavalaria. O cinema já mostrou muitas cargas de cavaleiros, mas nunca uma imagem como a de ‘O Cavalo da Guerra’ (será que vai se chamar assim?). Uma trincheira interminável e o cavalo que corre enlouquecidamente, a câmera num travelling avante que parece não ter fim, e isso em meio à explosão de bombas e aos tiroteios. Quase todo o trailer é visto da perspectiva do olho do puro-sangue. E existem dois tempos. Uma paisagem paradisíaca, acho que da Irlanda, e o inferno da guerra. Toda vez que Spielberg abordou a guerra – em ‘Império do Sol’, ‘A Lista de Schindler’ e ‘O Resgate do Soldado Ryan’ -, como limite da experiência humana, os filmes foram sempre importantes. Não duvido que ‘The War Horse’ vá ser, de novo. O trailer me deixou, como gosto de dizer, nos cascos.