Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Nao deu!

Cultura

Luiz Carlos Merten

02 Julho 2010 | 13h46

CANCUN – Imagino como estará o Brasil. Devastado. Ninguém, em sa consciencia, confiava 1oo% na selecao de Dunga, mas todos esperávamos que, mesmo aos trancos e barrancos, a selecao chegasse à final. Nao deu. Assisti ao primeiro tempo e até estava achando que ia dar. Aí, comecaram as coletivas do dia. O novo filme de James L. Brooks, o novo ‘Karate Kid’. O primeiro gol da Holanda, a expulsao de Felipe Melo – que o povo ia recebendo por meio de recados nos celulares – acabaram com a festa. Estou acordado desde a madrugada. Foi assim nos últimos dois. Ontem, levantei-me äs 4 da manha para entrevidstar a dupla de diretrores, Annarosa Morri e Mario Canale, de ‘Vittorio De Sica’, que estreia hoje aí no Brasil. Conversei com amigos italianos que participam do Sony Summer e percebo um grande entusiasmo pelo filme, embora tenha de admitir que falei com a dupla sem ter visto o documentário, o que nao é a melhor maneira de fazer uma entrevista. mas também nao pesquisei na internet e usei o que sabia sobre o ator e diretor para conversar com Annarosa e Canale. Hoje, levantei-me um pouco mais tarde, às 5h30, por causa do programa na Eldorado. Enquanto aguardava, na escuta, para entrar no ar, ouvia os flashes que antecipavam uma cidade parada por causa do jogo. Cravei um palpite, 2X0 ou 2X1. Quando a Holanda fez o primeiro gol, ainda dava para acreditar na revanchev da selecao. Mais do que no trio Kaká/Robinho/Fabiano, confesso que botava fé nos meus favoritos, os guerreiros Lúcio e Maicon. Estou postando após as duas coletivas de hoje. Daqui a pouco comecam as mesas – com Jim Brooks, Paul Rudd, Harald Zwart, que dirige ‘Karate Kid’, mais Jackie Chan e Jaden Smith. Jackie Chan foge quanto pode da comparacao com Mr. Myiagi, até porque o filme, embora se chame ‘Karate Kid’, é sobre artes marciais da China, sobre kung fu. O personagem é mais dramático que de hábito na sua carreira, mas gostei do que disse. Jackie Chan já está há tanto tempo na indústria, e se considera tao profissional, que nao precisa fazer muito esforco para definir, para si mesmo e o público, os tipos que interpreta. Teremos um ‘Karate Kid 2’, a exemplo do primeiro? ‘Só se meu personagem se casar com a mae de Jaden’, ele brincou. No filme, ela leva o filho para a China e lá, pressionado por uma gangue, o menino encontra em Chan o professor de kung fu que o ensina a enfrentar o perigo. Engracado é que ouvia Jackie Chan e Jaden Smith falarem de atitude e a necessidade de se buscar na gente as condicoes de virar o jogo, e secretamente esperava que o time do Brasil estivesse fazendo isso em campo. A ficcao, na realidade, é outra coisa.