Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Na varanda de Dona Canô

Cultura

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cultura

Na varanda de Dona Canô

Luiz Carlos Merten

28 Março 2007 | 19h02

Pensdo nos Beatles e em Pasolini, filmado pelo Bolognini. A Hard Day’s Night ou Um Dia de Enlouquecer? Sorry, mas não consegui tempo para acrescentar os posts que queria nesta quarta-feira. Tinha matéria para a edição de amanhã do Caderno 2 (sobre Serras da Desordem e Cortina de Açúcar, meu favorito, que passam no É Tudo Verdade) e ainda fui ver Maria Bethânia, o documentário de Andrucha Waddington que também será exibido pelo festival (na sexta). Achei Maria Bethânia muito bonito e fiz minhas analogias entre a casa vazia de Santiago, o documentário de João Moreira Salles, e a varanda da casa de Dona Canô, em Santo Amaro da Purificação, Bahia, onde ela e os filhos cantam (e Caetano ainda tem de ouvir da mãe que ‘música boa é música antiga’). Entrevistei o Andrucha, que me disse uma coisa bonita. Ele fez o filme a convite de Bethânia, que queria comemorar seu aniversário (60 anos). Foi tudo muito corrido, de última hora, feito no improviso, sem muitas preocupações de ordem técnica. Ele mal teve tempo de estabelecer uma regra com Bethânia – não ia fazer nenhuma pergunta. Queria que ela o levasse. Bethânia o levou para sua intimidade, para dentro de casa, para dentro da família. Há cenas do filme que parecem documentadas por uma câmera oculta. Em outras, há o artifício de colocar a Bethânia num lugar específico, para cantar. Realidade ou artifício? É tudo verdade? Gostei mais que de Maria Bethânia – Música É Perfume, que já tinha suas qualidades. Vejam e me digam. Na seqüência, redigi os diversos textos que estarão na edição de depois de amanhã do Caderno 2. Ou seja, me faltou tempo para o blog, mas vocês vão me desculpar (e podem até ficar comentando o que quiserem). Só quero pedir que não percam amanhã os filmes da Camila Guzmán Urzúa e do Andrea Tonacci no É Tudo Verdade, nem o Santiago, se alguém ainda não viu, e que terá sessão especial , a pedido do público, à noite (23 horas), no CineSesc. E agora, gente, estou indo para o aeroporto, preparado para enfrentar um início de noite na Marginal (o que não é muito agradável). Se tiver condições, posto mais alguma coisa antes de embarcar para o México. Hilary Swank, lá vou eu!

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Encontrou algum erro? Entre em contato