Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Na estrada, com Robert Blake

Cultura

Luiz Carlos Merten

25 Agosto 2009 | 15h48

Estou saindo para ver o terror de Sam Raimi, a pedido de alguns de vocês, que me cobram uma crítica para valer do filme. ‘Arraste-me para o Inferno’ passou no palais de Cannes numa sessão à meia-noite, à qual não fui. No domingo, na repescagem, pude ver só um pedaço, o que me impede de ter uma ideia ‘global’ do filme. Vamos lá. Antes disso, quero acrescentar um post que me persegue há dias. Nem sei como começou, mas de repente comecei a ser assombrasdo por imagens de um filme do começo dos anos 70 – ‘Electra Glide in Blue’, de James William Guercio, com Robert Blake, um dos assassinos de ‘À Sangue Frio’, de Richard Brooks. Vi o filme na estreia, no antigo cinema Cacique, em Porto, e me lembro que todo mundo achava um clone de ‘Sem Destino’, do ângulo da polícia. Robert Blake teve seu momento – também foi o ator de ‘Willie Boy Is Here’, de Abraham Polonsky, com Robert Redford, Katharine Ross e Susan Clark, que eu adorava. Blake faz o policial que cai na estrada na direção de uma moto possante (a ‘Electra’). Ele se envolve com hippies, punks e baderneiros que lhe provocam explosões de violência. Não tinha uma ideia muito boa do filme. Fotografado virtuosisticamente por Conrad Hall – uma cena é vista pelo ângulo de óculos escuros que caíram ao chão e se estilhaçaram na estrada –, seria o ‘Easy Rider’ maneirista ou esteticista, até porque Robert Blake cavalga sempre sua motocicleta em dupla, como Peter Fonda e Dennis Hopper no outro filme. Como disse, vieram-me algumas imagens de ‘Electra’, mas eu não sabia como escrever sobre o filme nem o quê. Ocorre que comprei aquelas revistas francesas, ‘Première’ e ‘Studio’ – as edições de julho, com Johnny ‘Inimigos Públicos’ Depp na capa. Numa delas, não me lembro agora qual, um texto reporta as reprises em Paris e cita entre os velhos filmes de volta ao cartaz justamente o de James William Guercio, agora reconhecido como ‘grande’. Comentei isso com Antônio Gonçalves Filho e ele não acreditou. Contou-me que, no fim de semana, resolveu fazer funcionar sua velha vitrola, que estava parada e pegou o primeiro vinil que viu pela frente. Era a trilha de ‘Electra Glide in Blue’, que tem a partitura e alguns diálogos, incluindo o famoso, quando Jeannine Riley (cho que é ela) diz para Robert Blake que ele é baixinho e o policial ofendido esclarece que sua altura é a mesma de Alan Ladd, o lendário Shane de ‘Os Brutos Também Amam’, de George Stevens. Guercio era, até onde sei, fotógrafo. Teria de pesquisar na internet para desobrir se ele fez mais alguma coisa ou se ‘Electra’ foi uma aventura solitária. O filme tem música de Peter Paul Cetera. Inscreve-se num projeto de contracultura ou de cinema mais alternativo, integrando o lote de produção indy que marcou o cinema norte-americano no decênio 1965/75, considerado a era de ouro do gênero (é gênero ou sistema de produção?). Um filme desses voltar aos cinemas, no Brasil, é algo impensável, dadas as características do nosso mercado. Mas a Classicline bem poderia resgatá-lo em DVD. A empresa tem feito um interessante trabalho de garimpo de preciosidades do cinema norte-americano. Agora mesmo, não sei se agora, mas lançou – e descobri só hoje –, ‘Tarnished Angels’, Almsas Maculadas, um Grande Douglas Sirk, baseado em William Faulkner (‘Pylon’), com Rock Hudson, Robert Stack e Dorothy Malone. Twentei descobrir como ‘Electra Glide…’ foi lançado no Brasil (quero dizer, o título). Não consegui. Toda ajuda será bem vinda.

Encontrou algum erro? Entre em contato