Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Miscelanea

Cultura

Luiz Carlos Merten

07 Abril 2008 | 22h15

LOS ANGELES – Entrevistei David Mamet, Chiwetel Ajiofor e, claro, Alice Braga e Rodrigo Santoro pelo filme `Redbelt`, de David Mamet, que daqui a pouco terah red carpet no Egyptian Theater, no Hollywood Boulevard. Jah havia falado uma vez com o Mamet, em Cannes, quando ele mostrou `The Winslow Boy` (O Cadete Winslow), no festival. Hoje, voltei a perguntar pelo `Winslow Boy`, que adoro, e ele voltou a elogiar a peca de Terrence Rattigan, que ja havia sido filmada por Anthony Asquith, embora tenha acrescentado que mudou muita coisa, porque senaoh naoh teria graca. Gostei do `Redbelt`, um filme de luta – jiu jitsu – que o proprio autor diz que naoh eh tanto de artes marciais, e naoh eh mesmo, porque tem a densdidade emocional das melhores pecas do Mamet. Uma daquelas historias de samurai moderno, que pode ateh correr o risco de parecer anacronica face ao cinismo presente nas relacoes contemporaneas. Os 15 mionutos finais naoh tem um dialogo, o que naoh significa que tudo naoh tenha sido minuciosamente escrito pelo diretor/troteirista, como explicou o Chiwetel. E o cara eh mesmo bonito para caralho, como alguem comentou aqui no outro dia. Voltando aos comentarios sobre o post do Charlton Heston, ia acrescentar o que um de voces jah assinalou. No fim dos anos 60, inicio dos 70, quando seu esporte favorito era salvar o mundo, Heston fez mais duas ficcoes cientificas, que de certa forma completam uma trilogia sobre os riscos do perigo nuclear e outras ameacas que pesavam sobre a humanidade, na epoca. Falo, claro, do `Planeta`, do Franklin Schaffner, mas tambem de `A Ultima Esperanca da Terra` (The Omega Man), de Boris Sagal – refilmado como `Eu Sou a Lenda`, com Will Smith (e o filme arrebentou nas bilheterias) -, e o meu favorito, `Soylent Green`, que no Brasil se chamou `No Mundo de 2020`, de Richard Fleischer, grande diretor injusticado (um pouco por seu ecletismo, outro tanto por ser assalariado da Fox, mas tambem porque assinou aquele filme sobre o Che, `Causa Perdida`, que jurava ter sido arruinado pelo estudio). Na devastada Terra do futuro, a humanidade sobrevive comendo um soh alimento, o Soylent Green do titulo e, no final, vem a revelacaoh do que eh o Soylent Green, digna do Manifesto Antropofagico do Modernismo brasileiro. Revi `No Mundo de 2020 hah alguns anos no Festival do Rio. Grande Fleischer, grande Heston. E nem falamos nos pequenos filmes dele, produzidos por Hal Wallis (acho que era ele) com direcao de Rudolph Mate – filmes noir, westerns. Uma carreira e tanto, a de Charlton Heston. E volto a Wilder, a Norma Desmond. Os filmes ficaram menores. Os epicos que ele fazia pertencem a uma outra era. Muitos de voces preferem `Ben-Hur`, eu sei. O meu favorito vai ser sempre `El Cid`, que ainda tinha aquela f… (a palavra de quatro letras para intercurso). O Cid e Ximena, a deslumbrante Sophia Loren, faziam sexo soh uma vez, em condicoes precarias, numa estrebaria (ou coisa que o valha), e nasciam gemeas. Ateh nisso Charlton Heston era exagerado.