Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Minhas ferramentas

Cultura

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cultura

Minhas ferramentas

Luiz Carlos Merten

11 Outubro 2008 | 19h54

Só mais um postezinho rápido. Ainda não tive tempo de validar os comentários de vocês, porque tinha pouco tempo, agora, e queria postar logo as notícias da mostra. Amanhã eu me volto para os comentários. Agora, para fechar, quero dizer que dei, hoje à tarde, uma palestra sobre cinema no curso de ‘Jornalismo Cultural’ da Editora Bragantini. Espero que a garotada tenha tido tanto prazer quanto eu. Quando jovens me perguntam o que fazer para virar críticos, o que posso fazer é apontar o camionho das pedras. É preciso amar o cinema, adquirir uma base teórica – Eisenstein, Bela Balász, Sigfried Kracauer, André Bazin, John Grierson e quetais -´, mas sempre digo que não se deve tomar nenhuma teoria do cinema como ‘a’ teoria. Acho que o importante é que cada pessoa adquira conhecimento mas pense no cinema por si mesma, que adapte as teorias existentes (ou a descobrir…) às suas expectativas em relação aos filmes. Passei da minha fase de achar que só eu estou certo. Quer dizer – até acho que estou, mas não me preocupo mais em cooptar ninguém. Só faço questão de marcar minha posição. Cada um cada qual. Hoje mesmo, saindo do filme do Assayas, encontrei o Miguel Barbieri, que disse que gostou do filme menos dos 5 minutos finais. Eu gostei por causa dos 5 minutos finais. A teoria nos fornece ferramentas, mas não existe ‘uma’ fórmula de ver (nem de fazer…) cinema. Como a editora faz esses cursos com freqüência, recomendo que os interessados visitem o site www.revistacult.com.br.