Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Melodrama

Cultura

Luiz Carlos Merten

07 Julho 2007 | 11h35

Quem foi mesmo que me comentou que me viu no Melodrama da Cia. dos Atores, do Enrique Diaz? Vi e gostei. Acho sensacional o trabalho do grupo, que é sempre muito rico e estimulante. A turma do Enrique desconstrói clássicos como Hamlet e A Gaivota, ou então gêneros como o melodrama. E eles têm um humor muito inteligente, muito legal. Naquele dia, consegui falar com o diretor, antes que o espetáculo começasse, e cobrei – já muito íntimo – sobre o ‘nosso’ filme? Tenho muita curiosidade de ver o tipo do filme que Enrique, irmão de Chico Diaz, faria, a partir da confissão dele de que adora cinema. O problema, Enrique me confessou, é que ele não é muito de escrever. O trabalho na Cia. dos Atores é criado conjuntamente com os intérpretes, na improvisação. Um filme exigiria roteiro, inscrever nas leis de patrocínio, essa coisa toda. Enquanto Enrique não encara, o cinema brasileiro fica privado de seu talento. Quanto a improvisar com os atores, é o que fazem Ken Loach e, principalmente, Mike Leigh. A partir do tema escolhido, ML trabalha na base da improvisação com os atores até fixar as cenas que irão compor o roteiro. Enrique Diaz já faz isso no teatro, por que não no cinema? Ah, sim,. Hoje tem Gaivota no Sesc Pinheiros. Vale ver.