As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mais dos mesmos?

Luiz Carlos Merten

13 Abril 2017 | 12h06

OURO PRETO – Mathieu Amalric faz a abertura, como ator, da competição do 70.º Festival de Cannes com Les Fantômes d’Ismael e, como diretor, a abertura de Un Certain Regard com Barbara. O longa de Arnaud Desplechin é sobre um diretor que, prestes a iniciar novo filme, reencontra um amor do passado. O elenco traz dois casais de diferentes idades, o que me permite chutar – Amalric e Charlotte Gainsbourg interpretam o casal do presente e Louis Garrel e Marion Cotillard, o do passado. Será? Marion e Louis formavam o casal de Mal de Pierres, de Nicole Garcia, na competição do ano passado. Hong Sang-soo venceu Berlim fevereiro (Kim Minhee, melhor atriz) com On the Beach at Night Alone, que amei, e concorre em Cannes com The Day After. Tal é a lógica dos grandes festivais. Mais dos mesmos. Michael Haneke tem cadeira cativa em Cannes – The Guardian diz que, como rei da Áustria, ele só tem de estacionar sua carruagem. Alguma surpresa que esteja de volta com Happy end? Sofia Coppola é chic, e outra habitué do tapete vermelho de Cannes, embora só tenha concorrido com Marie Antoinette. A bola da vez de Sofia é The Beguiled, que Don Siegel filmou com Clint Eastwood em 1971. Ferido, Colin Farrell vai parar num pensionato de garotas durante a Guerra Civil dos EUA. O horror maior que a guerra – no filme antigo, famintas de desejo, professoras e alunas castravam simbolicamente o soldado, decepando… O quê? Já vou entrar em contagem regressiva para que o festival comece logo. É muita coisa que promete, mesmo sendo mais do mesmo, e sem Brasil.