Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » ‘Madame’ Ingrid

Cultura

Luiz Carlos Merten

31 Janeiro 2012 | 15h42

Acabo de receber o novo pacote de lançamentos em DVD da Cult. Toda vez a distribuidora prestigia um clássico, ou cult, gay e o deste mês é ‘Diferente dos Outros’, de Richard Oswald, produção alemã muda com Conrad Veidt, o César de ‘O Gabinete do Dr. Caligari’, de Robert Wiene. O pacote contempla também John Waters – ‘Pink Flamingos’, famoso pela cena em que Divine, o travesti, perdão, a travesti de 200 quilos que era a estrela favorita do autor, come cocô de cachorro -; ‘A Montanha dos Canibais’, de Sérgio Martino, cuja glória é mostrar Ursula Andress seminua na trilha dos canibais de Ruggero Deodato; e ‘Salon Kitty’, de Tinto Brass, em que o viscontiano Helmut Berger faz oficial nazista que transforma o bordel da bergmaniana Ingrid Thulin no laboratório de pesquisas sexuais que envolvem as pensionistas da casa com anões, opbesos e todo tipo de deformados, numa celebração do grotesco cara ao autor de ‘Calígula’. Esse tipo de filme, nazismo com sexo selvagem – e uniformes SS para incrementar o fetiche -, terminou por se constituir num gênero à parte do cinema italiano, frequentado por diretores que, nos anos 1970, eram apedrejados e hoje foram ‘descobertos’  pela crítica. Não acreditei no dia, em que, em Los Angeles/Beverly Hills, encontrei numa estante da Barnes and Noble ‘n’ livros dedicados a Lucio Fulci, um dos mais ativos diretores desse cinema de carregação, agora investido de ‘arte’. A Cult Classics anuncia que se trata da versão ‘estendida’ do ‘autor’. Para onanistas e voyeurs, é o máximo. Muito excesso, mais, muito mais, de tudo.