Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Kung Fu Panda

Cultura

Luiz Carlos Merten

15 Maio 2008 | 14h55

CANNES – Tive hoje um gostinho do que vai ser a doideira de `Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal` no domingo. É da caveira mesmo ou do crâneo de cristal? Aqui na França vai ser o crâneo… Mas a questão é a seguinte. A animação ‘Kung Fu Panda’ foi exibida pela manhã para a imprensa. Na seqüência, houve a coletiva com Angelina Jolie, Jack Black e Dustin Hoffman, que dublam os personagens. Agora mesmo, estou redigindo este post e ouvindo a gritaria da multidão, com a chegada de Angelina e do maridão Brad Pitt, que, à tarde, como ela disse, ficou cuidando das crianças no hotel. Angelina está grávida de gêmeos. Quem foi que disse que as pessoas queriam falar do filme? Queriam falar dos babies, isso sim… Dustin Hoffman é um que tenta ser sério até quando faz brincadeiras. Ele discursou sobre a necessidade que as pessoas têm, no atual mundo globalizado, de suprir seu vazio se projetando em super-heróis e o bom de ‘Kung Fu Panda’ é que o urso é herói malgré lui, e isto lhe confere – a despeito de ser bichinho, e animado – uma humanidade muito grande. Pelo título, vocês podem avaliar que a ursalhada, ou pelo menos o Panda, é bom de kung fu, o que permitiu à dupla de diretores-animadores Mark Osbormne e John Stevenson declarar seu amor por Bruce Lee e pelos irmãos Shaw-Shaw, de Hong Kong, que foi quem produziu os maiores clássicos asiáticos do gênero, nos 60 e 70. Jack Black é quem faz a dublagem do Panda. Seu estilo de humor é ser meio mal-humorado, mas é impressionante como este cara virou ídolo, principalmente das platéias jovens. Dustin Hoffman revelou que os filhos dele já estão acostumados às celebridades, mas quando disse que ia fazer uma dublagem com Jack Black – e, agora, viajar com ele para Cannes – a garotada queria vir junto. Achei interessante quando perguntaram para Angelina, já que Dustin Hoffman e Jon Voight fizeram o cult ‘Perdidos na Noite’, de John Schlesinger, qual era seu favorito, entre os filmes do pai? Angelina, muito embaixatriz da ONU, politicamente correta até debaixo d’água, disse que era ‘Conrack’, no qual ele faz aquele professor que leva a grande cultura (branca?) – Beethoven – a uma classe de afro-americanios pobrezinhos, que vivem isolados numa ilha. Tenho o maior respeito por Martin Ritt e amo muitos de seus filmes – ‘O Espião Que Saiu do Frio’, ‘Hombre’, ‘Ver-Te-Ei no Inferno’ (The Molly Maguires, sua obra-prima), ‘A Grande Esperança Branca’ e ‘Sounder – Làgrimas de Esperança’, mas não tenho muita paciência com ‘Conrack’ nem ‘Stanley e Íris’, no qual Jane Fonda ensina o analfabeto Robert De Niro a ler e escrever. Na seqüência da brincadeira, o próprio Dustin Hoffman disse qual era seu preferido, entre os filmes do velho Jon, e é ‘Amargo Pesadelo’ (Deliverance), de John Boorman. Jack Black deu sua contribuição e disse que seu favorito, entre os filmes de Dustin, não é ‘A Primeira Noite de Um Homem’ (The Graduate), mas ‘Kramer Vs. Kramer’. OK, Jack Black é astro, mas precisa aprimorar um pouco o gosto dele.

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Encontrou algum erro? Entre em contato