Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » ‘Inglorious’

Cultura

Luiz Carlos Merten

13 Setembro 2009 | 09h51

Saí ontem para jantar com amigos, comemorando meu aniversário. Ao chegar em casa, me aguardava o sedex com o presente que minha ex me enviou, de Porto Alegre. É a edição tripla – tripla! -, para colecionador, de ‘Inglorious Basterds’, de Enzo G. Castellari, que inclui tudo sobre o longa que foi inspiração para a aventura de guerra de Quentin Tarantino que vai encerrar o Festival do Rio (e deve trazer o diretor ao Brasil). Tarantino não fez um remake, mas se apropriou de certas ideias – como retomou outras de Robert Aldrich (‘Os Doze Condenados’) e J. Lee Thompson (‘Os Canhões de Navarone’) para rechear seu filme com Brad Pitt. O must da edição com três DVDs é o bate-papo, que ainda NÃO vi, entre Castellari e justamente Tarantino, que é tiete declarado do diretor italiano. Curioso isso, mas Enzo nunca mereceu muito apreço dos críticos e seu culto começou tardiamente, tendo Tarantino como oficiante. No Brasil, Carlos Reichenbach também gosta de alguns diretores italianos que são de segunda linha, mas que ele vai ao inferno para defender que são ‘autores’. Ponho entre aspas, mas sem preconceito algum, justamente porque esses caras (Castelari, Lucio Fulci etc) sempre foram tratados a pontapés pelos críticos de minha geração. Já contei como fiquei impressionado numa livraria norte-americana, com a quantidade de livros sobre Fulci. É um tal de dissecar a obra do cara que me deixou perplexo! Quero acrescentar que gosto de um filme do Castellari, um spaghetti western, ‘Keoma’, com Franco Nero, que tem imagens fortes, além de certa bizarrice. ‘Keoma’ vivia passando na TV aberta, mas ultimamente meio que saiu do ar. Teria de pesquisar no jornal para descobrir qual canal o exibia – e seria o caso de reexibir de novo, considerando-se que agora vai se falar muito do cineasta, por conta da admiração que por ele tem Tarantino. Estou no aeroporto, indo para o Rio, onde visito, daqui a pouco, o set do novo filme de Xuxa. Na volta, falamos. Ainda não comentei nada sobre filmes que vi na viagem aos EUA, ‘The Time Traveler’s Wife’ e ‘9’ (a animação). O Marabá já ostenta os cartazes de ambos, com estreia anunciada para breve. E ainda não falei sobre o ‘District 9’, que havia visto em Cancun (e sobre o qual estou sendo cobrado). Gostei! Até mais tarde.

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Encontrou algum erro? Entre em contato