Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Globo de Ouro (1)

Cultura

Luiz Carlos Merten

14 Dezembro 2006 | 14h30

Acabam de sair os indicados para concorrer ao Globo de Ouro. O prêmio é sempre uma espécie de prévia do Oscar, apontando tendências para o prêmio da Academia de Hollywood, com a diferença de que o Globo de Ouro divide seus candidatos entre melhor drama e melhor comédia ou musical, mais os atores e coadjuvantes relativos a cada gênero. Temos, assim, mais filmes e atores e atrizes candidatos ao Globo de Ouro do que ao Oscar. Babel, do mexicano Alejandro González-Iñárritu, lidera as indicações para drama. São sete, incluindo melhor filme, diretor, roteiro (Guillermo Arriaga) e melhor ator e atriz coadjuvantes (Brad Pitt e Cate Blanchett). Acho forte, e quando entrevistei o diretor, no Festival do Rio, ele me disse que acreditava mais nas chances de Babel no Globo de Ouro que no Oscar. Mas não sou um entusiasta excessivo, confesso. Há sempre um artifício na forma como Iñárritu e Arriaga constróem seus roteiros corais e eu acho que ele nu nca foi tão evidente como aqui. A novidade da categoria, mas não uma surpresa para mim, que amei o filme, foi a inclusão de Pecados Íntimos, de Todd Field, que concorre a melhor drama, roteiro e atriz (Kate Winslett). Já disse que achava Helen Mirren, por A Rainha (The Queen) imbatível na categoria de atriz, mas aí surgiu a Kate e eu estou vacilando. A grande surpresa, para mim, está sendo o fato de Clint Eastwood ter recebido duas indicações para melhor diretor, por A Conquista da Honra e Cartas de Iwo Jima, mas concorrer a melhor filme somente pelo segundo – e na categoria de melhor produção em língua estrangeira. A Conquista da Honra (Flags of Our Fathers) e Cartas de Iwo Jima focalizam a mesma batalha, durante a 2ª Guerra Mundial, do ângulo dos americanos e dos japoneses. Gostei muito do primeiro filme, mas pelo visto o segundo é melhor, pois já venceu os prêmios do National Board of Review e dos Críticos de Nova York. Só que, sendo falado em japonês, tem de concorrer a melhor filme em língua estrangeira, o que também ocorre com Apocalypto, de Mel Gibson, que é falado em maia. Vale lembrar que A Conquista da Honra estréia dia 2 de fevereiro e Cartas. um mês depois, dia 2 de março. A decisão da Warner foi tomada acredito que na suposição de que A Conquista seria indicado para o Oscar, que será entregue no fim de fevereiro. Se for o Cartas, como está pintando, espero que a estréia seja antecipada.

Encontrou algum erro? Entre em contato