Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » ‘Garapa’ em Berlim

Cultura

Luiz Carlos Merten

07 Janeiro 2009 | 18h08

Vocês já devem saber disso, mas, enfim, só agora estou de volta à re4dação do ‘Estado’. De manhã tinha a capa de amanhã para redigir, os filmes na TV, fui ver a comédia francesa ‘Dois em Um’ – mas não deu para esboçar um sorriso; aliás, será que aquilo é mesmo comédia? -, almocei, tinha problemas para resolver. Voltei! Na minha ausência, Flávia Guerra, nossa super-repórter em Londres, de volta à cidade para a cobertura da São Paulo Fashion Week, conseguiu localizar José Padilha, que regressa a Berlim um ano após vencer o Urso de Ouro com ‘Tropa de Elite’. Mas Padilha não volta à competição. Seu documentário ‘Garapa’, que o próprio site do festival – www.berlinale.de – define como ‘resposta do diretor aos problemas da globalização’, foi selecionado para a mostra Panorama. Berlim está demorando para anunciar sua seleção. O festival começa em menos de um mês (em 5 de fevereiro). Alguns títulos da mostra principal já foram anunciados, metade do Panorama já está na internet, mas falta o filé da disputa do Urso em 2009. ‘Garapa’ havia sido anunciado como atração especialíssima da Mostra, em outubro, mas não ficou pronto. Vou pegar carona no texto da Flávia. Padilha está feliz da vida. Diz que é a seção certa para seu filme estar – a dos documentários. O título refere-se à mistura de água com açúcar que milhões de pessoas carentes tomam, em todo o mundo, para iludir o estômago. O problema em ‘Garapa’ é a fome. Padilha filmou no Ceará, antes de ‘Tropa’. Ele deixou o filme guardado e só o retomou agora. ‘Garapa’ documenta o cotidiano de três famílias que sofrem de fome crônica. ‘Apesar de os números terem diminuído e a situação ter melhorado’, o diretor disse a Flávia Guerra, ‘ainda existem cerca de 11,5 milhões de brasileiros em situação de insegurança alimentar grave’, um eufemismo, agora sou eu que digo, para fome. Estamos de volta à geografia da fome de Josué de Castro, que motivou dois documentários de Rodolfo Nanni e é o flagelo que Padilha vai escancarar para a plateia berlinense, depois do choque produzido pela violência urbana de ‘Tropa de Elite’ em 2008.