Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Freddie Mercury – The Untold Story

Cultura

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cultura

Freddie Mercury – The Untold Story

Luiz Carlos Merten

30 Setembro 2007 | 00h57

RIO – Conheci hoje um cara sensacional, o alemão Rudi Dolezal, que está aqui no festival mostrando seu documentário sobre Freddie Mercury – The Untold Story, a história que nunca foi contada. Freddie Mercury, do Queen, foi, e ainda é, uma lenda do rock. Grande cantor, criou uma persona de macho man no palco, usando a voz e o corpo como instrumentos para eletrizar multidões. Fora do palco, onde sua extravagância virava mise-en-scène de si mesmo, Freddie, que nasceu Farrokh na Tanzânia, era uma alma 100% feminina. Gestos, fala, sensibilidade, tudo de mulher. O filme não omite nada. Os amantes, da doença – Freddie morreu de aids -, a união hetero com Mary Austin, que nunca deixou de amá-lo, apesar de ele preferir os homens a ela. Dolezal teve acesso a um material de arquivo extraordinário. A explicação é simples – ele próprio filmou tudo aquilo, nos muitos anos em que foi o diretor dos clipes da banda. Ele fez o filme como testemunho sobre um artista extraordinário. Não ganhou um tostão. Tudo irá para uma fundação que leva o nolme de Freddie Mercury e patrocina pesquisas sobre aids (além de oferecer apoio a aidéticos de várias regiões pobres do mundo). Dolezal mostra uma festa de Freddie Mercury e as festas dele, verdadeiras galas gays, contam-se entre as mais ruidosas da história do rock. Dolezal me contou muitas histórias que não estão no filme e espero repassar a vocês, quando, ou se, o filme estrear na Mostra (o que espero que aconteça). Achei muito doloroso quando ele contou uma coisa muito íntima do artista. Freddie deixou de tratar-se quando sentiu que não conseguia mais cantar. Desistiu de viver. Sua mãe diz uma coisa bonita – que o que a consola é saber que o filho levou alegria e felicidade a todo o mundo. Foi o que também me disse Brian May, do Queen, a quem entrevistei pelo telefone. Freddie Mercury tinha uma energia extraordinária, ele disse, e é bom saber que todos eles, no Queen – ou será na Queen; é banda, não? -, levaram essa energia a amigos desconhecidos aol redor do mundo. O mais incrível na persona de Rudi Dolezal é que ele, como diretor e produtor, filmou meio mundo da música – Miles Davis, Quincy Jones, Rolling Stones, Bruce Sprinsteen e Queen, Queen, Queen. O cara é om maior contador de histórias sobre ídolos do rock do mundo. Poderia ficar o dia inteiro conversando com ele, mas meu dia hoje foi longo e eu logo conto por quê.

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Encontrou algum erro? Entre em contato