Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Filhos da Esperança

Cultura

Luiz Carlos Merten

08 Dezembro 2006 | 11h18

Já contei aqui que acho José Saramago ilegível. Tento ler os livros dele e não consigo. Adoro romances policiais, mas aí também tenho o meu Saramago. É a P.D. James, cuja leitura não anda, para mim. Não li o livro dela que inspirou Filhos da Esperança, mas imagino que deva ser pessimista como tudo o que ela escreve. A história passa-se num futuro apocalíptico, quando não ocorrem mais nascimentos na Terra. Neste quadro, qual é o futuro da humanidade? E, se não há futuro, por que ou para que manter as regras civilizatórias? Vira o salve-se quem puder. Não li o livro, mas vi o filme do Alfonso Cuarón que estréia hoje. Clive Owen faz o burocrata inglês que vive uma vidinha de m…, neste mundo sem futuro. Mas ele se liga a um grupo e recebe a missão de salvar a última mulher grávida do planeta. Cuarón fez E Sua Mãe também e o terceiro Harry Potter. Ele tem brilho visual, alguma inventividade, mas acho que se preocupou demais em ser positivo, daí o título – Filhos da Esperança – que Children of Men, uma citação bíblica, recebeu no Brasil. O filme é bom, mas poderia ser bem melhor. Aproveito para falar do Clive, que faz o herói. Lembro-me que o entrevistei com Elaine Guerini, por conta do Rei Arthur. A Elaine pedia baixinho – Sorri! Sorri! – porque o cara realmente tem um sorriso de dentes perfeitos que arrasa quarteirão. Clive Owen virou mito sexual em Closer – Perto Demais, do Mike Nichols, dando um chapéu no Jude Law, que eu também entrevistei, certa vez, e ele me disse que falava de tudo, menos de ser o homem mais sexy do mundo, como o chamou a revista People. Eu fiz vir que tinha de tratar do assunto, porque era impressionante como o homem considerado mais sexy perde sempre a mocinha em todos os filmes que ele interpreta. Jude achou graça, mas devia era ter chorado. Ele (o seu personagem) anuncia que quer ‘ficar’ em Closer, mas quem fica é Clive, que faz o modelo ‘mineiro’, do come quieto. Depois de Closer, surgiu o boato de que Clive Owen poderia ser o novo 007, mas o escolhido foi Daniel Craig. Não sei não, mas tenho essa impressão de que Clive vai seguir os passos do Jude Law. Jude parecia tão brilhante quando surgiu. Você era capaz de jurar que teria um futuro brilhante, mas a carreira, de alguma forma, empacou e não por falta de bons papéis, em filmes de diretores importantes. Espero estar enganado, mas sinto que Clive Owen também vai por aí.