Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Festa latina na Berlinale

Cultura

Luiz Carlos Merten

14 Fevereiro 2009 | 17h59

BERLIM – Pelo segundo ano consecutivo, tivemos a maior festa latinmo-americano no encerramento da Berlinale. No ano passado, o vencerdor do Urso de Ouro foi o brasileiro Jose Padilha, com `Tropa de Elite`. Este ano, dois filmes latinos, ambos sul-americanos, participavam da competiçao. O uruguaio `Gigante`, dirigido pelo argentino Adrian Biniez, recebeu nada menos do que tres premios – o de melhor filme de diretor estreante, o Alfred Bauer e o Grande Premio do juri, dividido com `Tatarak`, de Andrzej Wajda. Adorei o filme uruguaio, e gostei ate pelo qwue muita gente considera seu defeito. Alfred Hitchcock e Krszystof Kieslowski fizeram grandes filmes, definitiovos, sobre o tema do voyeurismo. Biniez fez o mais simples dos filmes sobre o tema. Muita gente o acho ingenuo. O juri e eu achamos que era essa sua força. Vou voltar ao assunto mais tarde. O Urso de Ouro de melhor filme foi para o mesmo filme que, na sexta, ganhara o premio da crítica, `La Teta Assustada`, da peruana Claudia Llosa. Nao sou o maior fa do filme de Claudia – prefiro o uruguaio -, mas achei muito interessante que a diretora, trabalhando, no limite, com elementos daquilo que se chama de realismo mágico tenha feito um filme embasado na realidade, com um lado documentário muito forte. Estou só relatando a premiaçao para voces. Tenho de redigir um texto para o jornal, fazer entrevistas. A gente fala depois.

Encontrou algum erro? Entre em contato