Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » E o prêmio da crítica foi para…

Cultura

Luiz Carlos Merten

22 Maio 2010 | 13h05

CANNES – Deu a louca nos coleguinhas. Ia começar falando sobre o Mikhalkov – horroroso – que vi hoje pela manhã, mas tenho de atropelar para anunciar os vencedores do prêmio da crítica, anunciados agora há pouco. O júri ecumênico, que entregou seu prêmio no mesmo local, destacou ‘Des Hommes et des Dieux’, de Xavier Beauvois, mas isso já era esperado e o filme tem uma primeira hora muito bonita, mesmo que depois o diretor me tenha parecido perder o rumo, embora seja justamente nesta segunda parte que Beauvois cria a sua Santa Ceia, sobre fundo musical. O júri ecumêmico – estou fazendo suspense quanto ao prêmio da crítica – outorgou uma menção ao belo filme coreano ‘Poetry’, de Lee Chang-dong, e outra a ‘Another Year’, de Mike Leigh. Tudo bem que o prêmio ecumênico é mesmo, como direi?, um tanto acadêmico no seu humanismo tradicional, mas os jurados deveriam ter tido a coragem de pelo menos outorgar sua menção a ‘Uncle Bonmee Who Can Recall His Past Líves’, de Apichatpong Weerasethakul, que trata de reencarnação. O prêmio da Fipresci, a Fédération Internationale de la Presse Cinématographique, contempla as diferentes seções. A Fipresci acertou em duas e errou na terceira, a principal. ‘Pal Adrienn’, de Agnes Kopcsis, e ‘Todos Vos Sodes Captans’, de Olivier Laxe, venceram, respectivamente, na mostra Un Certain Regard e na Quinzena dos Realizadores/Semana da Crítica. A cagada monumental foi o prêmio de melhor filme da competição, que ficou com ‘Tournée’, de Mathieu Amalric, com suas mulheres de Fellini perdidas num drama naturalista à John Cassavetes – mas que raio de crítico achou que aquilo era melhor?  Estou pasmo. pelo menos uma coisa me tranquiliza. O júri de Tim Burton não poderá fazer pior, exceto se confirmar o prêmio de Amalric.