Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » E o ‘Ouviram do Ipiranga’?

Cultura

Luiz Carlos Merten

07 Setembro 2007 | 10h56

Este post é conseqüência do anterior, mas ontem, procurando um destaque para os filmes da TV, no Caderno 2, encontrei um especial de 7 de setembro no canal National Geographic. Antigamente, mesmo que o filme não seja ufanista, se as emissoras queriam contemporizar exibiam Independência ou Morte! Se queriam criticar, o filme era outro – Os Inconfidentes. O filme escolhido para a exibição desta tarde, às 17h30, é o documentário Ônibus 174, de José Padilha. Ave Maria! O Brasil está tão mal assim que o filme escolhido para assinalar – não se pode dizer comemorar – a data da independência é o que documenta o trágico evento de 2000, quando o seqüestro de um ônibus, no Rio, transmitido ao vivo pela TV (foi o nosso primeiro reality show de horror), terminou com as mortes do seqüestrador e de uma refém? Não estou consurando, nem mesmo criticando a tal exibição. Só estou achando que ela é representativa de mudanças comportamrentais que estão ocorrendo no País. Será isso um sintoma de consciência face aos problemas (sociais e institucionais) que nos afligem? Ou, será, adotando a tese da ‘conspiração’, simplesmente mais uma tentativa de desestabilizar a autoridade (que já não anda muito firme)? Isto posto, quero dizer que nunca fui muito fã do filme de Padilha e de sua representação – ambivalente, para mim – da violência urbana no Brasil. Padilha fez agora Tropa de Elite, que virou o filme-sensação do cinema brasileiro em 2007, depois que sua cópia pirata virou fenômeno de vendas nos camelódromos do Rio. Até onde sei, a Tropa de Elite é a que combate o tráfico. Terá José Padilha feito o reverso de Ônibus 174? Aguardo com ansiedade o dia 20, para ver o filme na abertura oficial do Festival do Rio. E, ah, sim, não posso esquecer de comentar. Bruno Barreto filma atualmente a versão ficcional de Ônibus 174. Li o roteiro e dá samba. Pode vir coisa boa daí. Mas tenho de repassar a reclamação enviada ao jornal. Moradores da área em que o filme está sendo rodado escreveram que o sonho de Bruno Barreto virou o pesadelo deles. Toda a zona virou uma bagunça. A equipe faz barulho, suja e tudo fica por isso mesmo. Bruno vai ler este post? Vai tomar providências? Tomara!