Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » É Mark Ruffalo, sim

Cultura

Luiz Carlos Merten

14 Junho 2007 | 17h23

Agora é oficial. Mark Ruffalo foi confirmado para o elenco de Blindness, que Fernando Meirelles começa a filmar no fim de julho, no Canadá. Julianne Moore, Danny Glover e Sandra Oh também estão no elenco do filme que Fernando vai fazer para um consórcio canadense/japonês. A O2 participa como sócia brasileira, usando o artigo terceiro (por meio da Fox). A filmagem começa no Canadá, prossegue no Uruguai e desembarca em setembro na cidade, com as presenças de Ruffalo e Julianne. Ela é uma das grandes atrizes do cinema atual. Alguma dúvida? Não para quem viu Fim de Caso, de Neil Jordan, e Longe do Paraíso, de Todd Haynes. Ruffalo também é bom, como se pode confirmar em Zodíaco, de David Fincher, em que ele faz o policial obcecado pelo serial killer e que, na caçada, como os personagens de Jake Gyllenhaal e Robert Downey Jr. também destrói sua vida. Já contei aqui, mas não custa repetir. Blindness baseia-se no Ensaio sobre a Cegueira, de José saramago, que era, em 1998, o filme com que FM queria iniciar sua obra solo de diretor. Na época, ele não conseguiu os direitos (e nem os de O Matador, de Patrícia Melo, que também queria adaptar). Foi melhor. Fernando foi fazer Cidade de Deus. Blindness lhe caiu agora no colo, proposto pelo produtor canadense Don McKellar, que co-escreveu e produziu 32 Curtas sobre Glenn Gould, de Francis Girard, que é bom, mas um tanto reducionista. É muito difícil para gente como a gente (e Girard e McKellar) entender a cabeça de um gênio como Gould. FM, como sócio, pretende que o filme se chame, no Brasil, Cegueira. Tira o Ensaio, que, na cabeça do espectador comum, deve dar a idéia de uma coisa muito elitista.