Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Desconstruindo Antonioni

Cultura

Luiz Carlos Merten

13 Maio 2009 | 07h27

CANNES – Pronto: pela procedência vocês já sabem onde estou. Na verdade, este texto deveria ter sido postado ontem. Tive um dia bastante atribulado em Parisd, antes de embarcar para Nice e, dali, vir para Cannes. Precisava mandar um texto para a edição de hoje do ‘Caderno 2’ e foi uma loucura. Fiquei quase duas horas no hotel tentando abrir minha caixa de e-mails. Pelamor de Deus! Aquele trilionário que inventou esse negócio todo de internet devia ser preso, isso sim. Quando essa m… não funcoiona, não tem jeito. Não funciona mesmo. Só de ver a ampulheta já me dá vontade de desistir. Vou tentar recuperar o post que perdi em Paris. Na hora de salvá-lo, entrou a mensagem – o ‘sistema’ não reconhecia o endereço. É mole? Mas, enfim, já estou em Cannes (desde ontem) e é sempre uma emoção passear pela Croisette, esse calçadão que vai ao bunker, do palais, até o Hotel Martinez, no outro extremo da baía de Cannes. Como sempre, há 1001 barcos e transatlânticos estacionados no mar, mas o tchã é sempre o próprio palais. Quem conhece a geografia de Cannes, não sei se é possível estabelecer o plano pela rede, sabe que o bunker engloba o palais, a entrada do mercado do filme e outra entrada para a Sala Debussy, onde ocorre boa parte das projeções de imprensa e a integral da mostra Um Certain Regard. Pois bem, está havendo uma inovação este ano. Na portada do palais, o Grand Théâtre Lumière, está o cartaz do festival deste ano, com a imagem de Monica Vitti que espia por uma janela (uma porta?) em ‘A Aventura’, de Michelangelo Antonioni. A metáfora é até óbvia – Cannes escancara uma janela (uma porta?) para o cinema do mundo. Mas na portada do mercado, ao lado, Monica avançou alguns passos e está num terraço. Mais um pouco, é a terceira grande porta na sequência, e Monica, de costas, está no centro do terraço, na mesma cena de ‘A Aventura’, na entrada do cine Claude Debussy. A fachada do bunker, neste ano, ‘desconstrói’ um típico plano sequência de Antonioni. Devaneei um pouco lembrando-me do filme, que espero ver em Cannes Classics, e depois segui pela Croisette até o Hotel Carlton, onde ficará Madame la Présidente (do júri), na verdade Mademoiselle Isabelle Huppert. Sei que o júri é formado por várias mulheres (Asia Argento é uma delas), mas tem um varão no meio e é James Gray, de quem a PlayArte – socorro! – continua nos devendo a estreia de ‘Two Lovers’. A portada do Carlton está toda ocupada pela publicidade do novo Tarantino, ‘Unglorious Bastards’. A chamada é coisa de gênio – ‘Once upon a time, in occuppied France…’ Era uma vez na França, sob a Ocupação. Já tenho aqui a programação geral do festival. A ‘gala’ de Tarantino será dia 20. Isso significa que só neste dia ou na véspera a imprensa verá ‘Unglorious Bastards’. Uma (longa) semana pela frente, portanto.

Encontrou algum erro? Entre em contato