Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » De ruim a pior

Cultura

Luiz Carlos Merten

31 Agosto 2008 | 13h49

Resolvi que vou postar mais alguma coisa sobre ‘O Procurado’, mas não agora, falando sobre o diretor russo Timur Bekmambetov, que conheci em Berlim, quando ele estava mostrando aquele filme dele de vampiro, que a Fox comprou para distribuição mundial. Já que desapareci ontem, começo dando notícias. Fui às compras – minha ‘neta’, a buldogue de minha filha, simplesmente comeu o sofá da sala -, e depois emendei dois filmes que me fizeram, pobre de mim, descrer da humanidade e do cinema. ‘Trovão Tropical’, do Ben Stiller, quer ser (um pouco) o ‘Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu’ do cinema de guerra. É repleto de referências e citações a ‘Apocalipse Now’, ‘Platoon’ e ‘Rambo’ e, no limite, é sobre Hollywood, mesmo que a ação se passe na selva, onde uma equipe de filmagem enfrenta narcotraficantes (em Mianmar). O filme é politicamente incorreto, Robert Downey Jr. veste a pele de afro-americano e Jack Black diz mais bandalheiras, inclusive sobre ‘gozo’, do que você jamais ouviu em toda a história de Hollywood, mas eu não consegui achar graça de nada (e menos ainda do Tom Cruise na pele de um produtor mau-caráter). Será que eu estava de mau-humor? Mas não, tinha almoçado, um almoço bem cordial e divertido em família, foi o filme mesmo, com a sua falta de timing – imprescindível numa comédia -, que me deixou irritado. Minha filha, Lúcia, matou a charada. ‘Cadê o humor? É um filme de ação malfeito.’ Dali fui ver ‘O Nevoeiro’, do Frank Darabont, diretor do qual gostei em ‘Um Sonho de Liberdade’, fiquei com o pé atrás em ‘À Espera de Um Milagre’, um passinho à frente em ‘Cine Majestic’ – que ele deve ter feito sonhando com ‘Cinema Paradiso’ -, mas agora, decididamente, estou disposto a desertar do cara, porque ‘O Nevoeiro’ é de lascar. O filme quer ser metáforico. Fala de guerra, violência etc. Surge o tal nevoeiro que isola as pessoas num mercadinho – uma crítica ao consumismo? – e de dentro dele surgem esses monstros com tentáculos. Os culpados foram os militares, que abriram um portal para outra dimensão, e entre a população sitiada está a ‘pregadora’ Marcia Gay Harden, que inicia o reinado do terror religioso. Guerra do Iraque, a maioria silenciosa (e religiosa) que apóia Bush filho, está tudo presente e o final é ‘trágico’ (não vou contar), para que Darabont expresse sua desconfiança em relação ao futuro da humanidade. Há tempos não via nada tão ruim, quer dizer, na verdade, há um par de horas, porque tive essa mesma sensação assistindo a ‘Trovão Tropical’. Deve ser por isso que estou pensando em voltar a ‘O Procurado’… Tinha achado tão ruim. Estou agora até começando a achar que tinha certa graça. É brincadeirinha, viram?