Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Dança das cadeiras

Cultura

Luiz Carlos Merten

15 Abril 2010 | 12h09

Sinto que ainda vou acrescentar ‘trocentos’ posts sobre o livro ‘Os Bastidores de Hollywood na Vanity Fair’, volume da Editora Agir organizado por Graydon Carter. Já conhecia muitas daquelas histórias de bastidores, mas volta e meio encontro alguma coisa nova. Por exemplo, quantas vezes você não ouviu falar das escolhas iniciais da Warner para um filme chamado ‘Casablanca’? Um certo Ronald Reagan poderia ter feito o papel de Rick, que imortalizou Humphrey Bogart (embora ele também pudesse ter se tornado imortal por seus detetives durões em ‘Relíquia Macabra’ e ‘À Beira do Abismo’, ou pelo bêbado de ‘Uma Aventura na África’, ou pelo diretor do filme dentro do filme de ‘A Condessa Descalça’ etc). Agora imaginem este outro filme, ‘A Primeira Noite de Um Homem’, com Robert Redford no papel de Benjamin Bradock, um loiro e bronzeado ‘graduado’ (recém-formado) da Califórnia, com Candice Bergen como sua namorada e Ava Gardner como a mãe da garota, de quem ele se torna amante. Pois as coisas quase ocorreram desta maneira. Gene Hackman faria o marido de Mrs. Robinson. Estaria tudo errado, não? Hoje em dia, não dá nem para pensar em ‘A Primeira Noite’ sem Dustin Hoffman, Katharine Ross,  Anne Bancroft e Murray Hamilton, mas foi daquele outro jeito que o filme quase saiu. A propósito, Mike Nichols será o homenageado deste ano com o troféu Life Achievement, do American Film Institute. É curioso como ‘The Graduate’, um dos filmes mais influentes de Hollywood, ia dizer nos anos 1960 mas é de todos os tempos, foi indicado a, sei lá – estou sem o livro agora -, dez Oscars e ganhou só um, e foi justamente o de melhor direção. Outra história ótima no livro. outro filme muito influente da ‘nova Hollywood’ da época, foi ‘Perdidos na Noite’, também com Dustin Hoffman. Pois vocês sabem quem ‘quase’ fez o Joe Buck, imortalizado por Jon Voight? O escolhido era Michael Sarrazin, de ‘A Procura da Felicidade’, de Robert Mulligan, e ‘A Noite dos Desesperados’, de Sydney Pollack, mas ele cometeu a burrice de aumentar o preço na hora de assinar o contrato. Foi ‘defenestrado’. Melhor assim – por mais talentoso que pudesse ser Sarrazin, o papel erxigia um cavalão como o pai de Angelina Jolie. Existem coisas que estão escritas.

Encontrou algum erro? Entre em contato