Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Comentando, comentando…

Cultura

Luiz Carlos Merten

17 Outubro 2007 | 18h30

Dei agora uma geral nos comentários. Agradeço ao Régis pela dica sobre ‘Invasores’. Oliver Hirschbiegel começou o filme, mas quem terminou (terminaram?) foram os Irmãos Wachowski? Nunca botei muita fé nestes caras, apesar do mega-sucesso de ‘Matrix’, sorry. Achei curiosa a popularização (vulgarização?) da filosofia, mas os artifícios narrativos eram tantos, para esticar e fazer três filmes, que eu terminei por me aborrecer. De volta a ‘Invasores’, escrevi que é o terceiro remake do cult de Don Siegel nos anos 50, ‘Vampiros de Almas’. Acho o filme do Siegel genial e fico sempre angustiado com a ‘traição’ de Dana Wynter no desfecho, quando a multidão caça Kevin McCarthy. E ‘Vampiros de Almas’ ainda tem toda aquela riqueza metafórica como olhar sobre o clima de paranóia nos EUA pós-macarthistas, face ao que era chamado de ‘perigo vermelho’. O livro de Jack Finney, ‘The Body Snatchers’, teve outras versões assinadas por Philip Kaufman (‘Os Invasores de Corpos’, em 1978) e Abel Ferrara (‘Invasores de Corpos – A Invasão Continua’, de 1993, que se passa numa base militar, coisa muito sugestiva). A atual versão começa discutindo a mídia, o que fornece uma metáfora pertinente dos EUA sob George W. Bush – vejam o que me disse Mark Ruffalo na entrevista concedida no set de ‘Blindness’, para o Caderno 2 -, mas o desfecho não só me pareceu insatisfatório como profundamente discutível. O que é aquilo, uma defesa da guerra (do Iraque)? Ah, sim, César Murilo não me perguntou, mas eu lhe digo que a fotografia de ‘Os Inconfidentes’ é de Pedro de Moraes. Grande Joaquim pedro! ‘O Padre e a Moça’ é um dos cults da minha vida. carrego Paulo José e Helena Ignez comigo. E a fotografia, em preto-e-branco, de Mário Carneiro – que já havia fotografado o curta ‘Couro de Gato’, também de Joaquim, incluído em ‘Cinco Vezes Favela’ -, é uma das coisas mais belas que conheço. ‘O Padre e a Moça’, certas músicas de Milton Nascimento, a capelinha do Ó, em Sabará, o casario de Diamantina. Penso em Minas, as Geraes, e o que me vêm são essas imagens e sons.