Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Começam as listas

Cultura

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cultura

Começam as listas

Luiz Carlos Merten

07 Dezembro 2006 | 18h48

Começa a temporada de listas. Nos EUA, o National Board of Review teve um surto distributivista e conseguiu dividir todos os seus prêmios. Ninguém acumulou. Clint Eastwood fez o melhor filme do ano, o poderoso A Conquista da Honra (Flags of Our Fathers), mas não foi o melhor diretor, segundo o Board, que preferiu o Martin Scorsese de Os Infiltrados, que eu sei que muita gente adora, mas pelo qual não tenho muito apreço. Helen Mirren foi a melhor atriz, por The Queen, do Stephen Frears, e Forest Whitaker o melhor ator, por The Last King of Scotland. Volver foi o melhor filme estrangeiro, o que favorece a campanha de Almodóvar para o Oscar da categoria, prejudicando o nosso Cinema, Aspirinas e Urubus, de Marcelo Gomes, que teve pré-estréia ontem em Berlim (e o Caderno 2 publica amanhã a reportagem. O filme foi apresentado por Wim Wenders, que chique!) Nacionalismo à parte, e mesmo gostando muito do filme do Marcelo, gosto demais do Volver e assino em baixo da premiação do Board. Fiquei chapado quando vi A Conquista da Honra, gostei muito do Forest Whitaker (o Bird de Clint…) e confesso que, desde que vi A Rainha no Festival do Rio, Helen Mirren é minha candidata a melhor atriz para qualquer prêmio que existir (ou for criado). Só não gosto do Scorsese, não tem jeito. Já revi Os Infiltrados e não dá liga. Não tenho paciência para ver Leonardo DiCaprio interpretando Robert De Niro nem para o show de Jack Nicholson. Scorsese havia feito Os Bons Companheiros há 15 anos. Agora, ele faz um filme sobre como o cinema (e ele próprio…) vê os companheiros. Entendo a proposta, mas não me toca. Cansei deste cinema que anda me parecendo muito estéril (Dália Negra, do De Palma, é ainda pior, um supertrash). As listas continuam nos próximos dias. Devem sair a dos críticos de Nova York, a dos críticos de Los Angeles. Aqui no Brasil, na segunda, dia 11, a APCA, Associação Paulista dos Críticos de Artes, reúne seu colegiado para escolher os melhores de dez ou onze categorias (tem havido controvérsia, porque sempre falta quórum para a música erudita). Os críticos de cinema da APCA premiam só produções nacionais. Sinto que vamos ter uma polarização entre O Céu de Suely e Árido Movie, com chance para O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias. Vamos à luta, e aos prêmios!