Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Bye-bye

Cultura

Luiz Carlos Merten

15 Julho 2008 | 14h30

Em 1978, Charles Joffe foi quem recebeu o Oscar de melhor direção para Woody Allen, na ausência do diretor, que preferiu ficar em Nova York a ir a Los Angeles para assistir à consagração de ‘Annie Hall’ (Noivo Neurótico, Noiva Nervosa), que ganhou os principais prêmios daquele ano (para os melhores de 77). Charles Joffe co-produziu com Jack Rollins os filmes mais importantes de Woody. Pois ele morreu – na semana passada, embora somente ontem o obituário tenha sido publicado pelo ‘The Los Angeles Times’. Não sei se isso muda alguma coisa no mundinho de Woody Allen, embora a minha relação com ele já tenha mudado. Não tenho mais muita paciência para seus filmes, mas não sou louco de querer diminuir o autor de obras que admiro, como ‘Manhattan’, ‘Hannah e Suas Irmãs’, ‘Zelig’, ‘A Rosa Púrpura do Cairo’ e ‘Crimes e Pecados’. Fica feito o resgistro.