Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Bom, bom…

Cultura

Luiz Carlos Merten

23 Maio 2012 | 07h49

CANNES – Alisson vai ter um piti ao ler o que define como conversa de Messenger, o que, para mim,. eh mais estranho que a paisagem da Lua – o tal Messenger -, mas, enfim, estou escrevendo num teclado em ingles, sem acentos. E o que mwe ,leva a postar eh a urgencia de contar logo para voces que acabo de assistir a On the Road. Gostei demais do filme que Walter Salles adaptou do livro mitico de Jack Kerouac e, na saida, ateh fiz piada com amigos. Estajh tosdo mundo aqui nas nuvens com os velhinhos de Michael Haneke, em Amour, mas eu quero dizer que fiquei muito mais impactado com a dor e op sofrimento dos jovens de Salles/Kerouac. O filme comeca com a morte do pai e termina, milhares de quilometros depoisd, como a histortia de uma amizade rompida e da sua reinvencao por meio da arte. Belo demais, e a coletiva foi das melhores, mesmo sem ter tido muitas perguntas da impren sa intewrtnacional, porque naoh houve tempo e, nas poucas quest’oes levantadas, o povo da mesa tinha muito o que falar. Waltinho se dedicvou durante anos ao projeto, o que foi bom para ele (e para o filme). Lhe deu a compreensaoh daqueles jovens, que ainda naoh eram os herois da beat-generation, como o jovem Guevara de Diarios de Motocicleta ainda naoh eh o Che. Os personagens, a estrada, a busca da ultima fronteira da America, que Sal, Dean e seus amigos naoh encontram, mas no caminho eles se dilaceram tentando criar e experimentar erxperiencias, de sexo e droga. Sam Riley eh bom, muito bom, como Sal, mas o filme eh de Garret Hedlund, como Dean/Neal Cassidy, da mesma forma que a coletiva foi `roubada` por Viggo Mortensen. Ele faz William Burroughs, uma participacaoh pequena, mas sua compreensaoh do personagem e do projeto eh uma coisa impressionante. Apesar disso, a imprensa, os coleguinhas, estava mais preocupasda em saber de Kristen Stewart se ela teve algum problema de fazer as cenas de sexo, e atejh como seu vboyfriend, Robert Pattinson, reagiu a elas. Kristemn disse que quer mais ousar, surpreender os outros e a si mesma. Eh boa, a guria. Foi que nem ontem. Com tanta coisa para perguntar a Brad Pitt, de Cogan, todo mundo sogh queria saber quando vai ser o casamento com Angelina Jolie. De tudo o que ele disse na colertiva do filme de Amndrew Dominik, a ausencia de data foi a noticia do dia em sites de todo o mundo. Eh de cortar os pulsos – que nada, eh soh a swociedade da imagem e da fofoca, em que vivemos.