Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Berlim!

Cultura

Luiz Carlos Merten

07 Fevereiro 2007 | 11h37

BERLIM – Soh uma postagem rapida para dizer que jah estou em Berlim, onde comeca amanha o 57.o Festival de Cinema. Tive ontem um dia tumultuado, na saida de Sao Paulo, com 1001 coisas para fazer. No aviao, via Paris, descobri que Scorsese ganhou o premio do Directors Guild, o que o torna, mais que nunca, forte candidato, ou candidato imbativel, para o Oscar de direcao, por Os Infiltrados. O fato de ele merecer ou nao, nao tem a menor importancia. Pode nao merecer por este filme, mas merece, de qualquer maneira, receber por sua carreira. Alem dos grandes filmes que fez nos anos 70 ateh lah por meados dos 90, Scorsese foi sempre um cinefilo que se dedicou, como poucos diretores, a divulgar e proteger o cinema, escrevendo livros, fazendo documentarios (sobre os cinemas americano e italiano) e ajudando a restaurar obras ameacadas. Tanta dedicacao merece recompensa, mesmo que eu nao goste de sua trilogia com Leonardo Di Caprio, formada por Gangues de Nova York, O Aviador e Os Infiltrados, que o proprio Scorsese considera um soh e grande filme. Na sexta, vamos ter as estreias de A Rainha e Pecados Intimos, com duas verdadeiras rainhas da arte da representacao. Helen Mirren, segundo todos os indicadores da premiacao da academia, leva a estatueta dourada por sua criacao como Elizabeth II, mas, por mais que a admire, nao estou muito seguro de que Helen seja melhor do que Kate Winslet, realmente fantastica no filme-coral de Todd Field, mais para Magnolia, de Paul Thomas Anderson, do que para Nashville, de Robert Altman. Gostei demais de Pecados Intimos. Espero que voces gostem, tambem. No aviao, no trecho Paris/Berlim, li no Le Monde que Hollywood realizou na segunda, dia 5, o tradicional jantar dos indicados, com direito a foto de familia de todos que os concorrentes aos premios de 2007. Achei muita graca porque Helen Mirren foi curta e grossa. Perguntada pela imprensa em quem votou para melhor atriz, disse que votou nela. E acrescentou – votou em homenagem a rainha Elizabeth II, que, afinal de contas, lhe forneceu um bom material para sua interpretacao. Em Berlim, tres horas a frente do horario brasileiro e com frio de 2 graus, ainda nao retirei minha credencial, mas jah fiz duas descobertas – O Ano em Que Meus Pais Sairam de Ferias, o candidato brasileiro ao Urso de Ouro, do Cao Hamburger, serah o primeiro filme da maratona, sexta de manha, as 9 horas (o festival serah inaugurado amanha a noite por La Mome, de Olivier Dahan, que conta a historia de Edith Piaf). Tambem na sexta, a tarde, Tata Amaral inicia a mostra Generation 14-Plus com Antonia, que passa aqui no mesmo dia em que estreia no Brasil. Vai ser bonito. As garotas da Tata estarao na Berlinale e vao fazer um show. E a diretora fecha em Berlim o ciclo que abriu aqui. Um Ceu de Estrelas, primeiro filme da trilogia sobre as idades da mulher, passou em Berlim, onde Antonia, agora, encerrando o ciclo, ganha uma acolhida muito calorosa. A organizacao do festival jah fez saber que estah muito feliz de ter Tata na Berlinale, sinal do prestigio da diretora.