Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » ‘Atos de Amor’

Cultura

Luiz Carlos Merten

01 Junho 2010 | 09h34

De volta ao post ‘Profissão: Bandido’. Cada um tem seu Dennis Hopper preferido. Fernando Severo nem se lembrava de que ele integra o elenco de ‘Assim Caminha a Humanidade’ e diz que o post lhe deu vontade de rever o clássico de George Stevens. É um dos grandes filmes da história do cinema. Seu uso do tempo e do espaço antecipa o Anthony Mann de ‘El Cid’ e ‘Cinzas no Paraíso’, Days of Heaven, de Terrence Malick, talvez não existisse sem a referência a Reata, a mítica fazenda de James Dean, que o diretor incorpora a seu relato. Raimundo considera imperdoável que, repassando a carreira de Hopper, tenha me esquecido de ‘Atos de Amor’, que ele fez com Bruno Barreto, dividindo a cena com Amy Irving, na época mulher do diretor.  Tenho de admitir que me esqueci, completamente, mas vale a lembrança do Raimundo. Bruno Barreto ofereceu a Dennis Hopper um de seus papeis mais atípicos (o mais?), como aquele rancheiro que vai adiando o casamento e se envolve com garota, num triângulo adaptado de um original de Jim Harrison. Lembro-me de que a ‘menina’ era bem sexy, bem vamp – quem era? -, e Bruno é bom na arte de colocar a sexualidade das mulheres na tela. Digam o que disserem de ‘A View from the Top’, com Gwyneth Paltrow – como se chamava aqui? -, ela nunca foi tão ‘gostosa’ e até deve ter se surpreendido ao descobrir uma outra versão de si mesma. Severo gostaria de rever ‘Giant’ e eu, ‘Atos de Amor’. Deve ter em DVD, não?