Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Amor & arte

Cultura

Luiz Carlos Merten

19 Julho 2008 | 07h54

WROCLAW – Tive ontem um dia agitado, dando entrevistas – como curador da retrospectiva brasileira no festival internacional de cinema desta cidade polonesa – e apresentando filmes – o primeiro foi `Carlota Joaquina`, daqui a pouco serah `Terra Estrangeira`. Mesmo assim, tenho tido tempo de assistir a alguns filmes que me interessavam bastante. Hah tempos corria atras de `Les Amours d`Astree et Celadon` e ontem pude assistir ao filme de Eric Rohmer. Foi uma experiencia e tanto. O filme baseia-se numa lenda celta, sobre rapaz que eh rejeitado pela noiva ciumenta, lanca-se num rio e eh salvo por ninfas. Por meio de uma discussao do amor fisico e espiritual, Rohmer faz com que seu heroi tenha de se passar por mulher para ficar perto daquela a quem ama. A plateia viu o filme como comedia gay. A garotada ria ruidosamente durante a sessao e eu fazendo outra viagem, completamente diversa, no imaginario de Rohmer. Hoje pela manhah jah assisti a `Beoynd the Years`, de Im Twon Taek. Eh o centesimo filme do diretor coreano, inspirado na cultura tradicional – no pansori – como `Chynhyang`. Outra historia de amor impossivel e de distancia, sobre tocador de tambor que foge de casa e passa o filme inteiro tentando se reaproximar da meia-irmah, a quem ama, e que o pai cegou para que ela pudesse expressar toda a dor e melancolia das cancoes que interpreta. Achei o filme lindo, uma reflexaoh sobre o amor e a arte que me tocou muito (e a do amor naoh eh taoh distante assim do filme de Rohmer). Embora naoh esteja conseguindo acessar os comentarios – espero faze-lo na volta – estou curioso para saber o que voces acharam, estaoh achando, do novo Batman, `Cavaleiro das Trevas`. Ateh!