Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Altas aventuras

Cultura

Luiz Carlos Merten

13 Maio 2009 | 07h51

CANNES – Por conta deste laptop que avança a passos de tartaruga, arrisco-me a ser o último com as primeiras deste festival. M…! Assisti agora de manhã a ‘Up’, a nova animação da Disney Pixar, direção de Pete Docter, que está aqui com John Lasseter. A sessão foi uma festa. Thierry Frémaux subiu ao palco do Théâtre Claude Debussy para nos desejar bom festival – ‘a tous!’ – e pediu que toda a plateia colocasse os óculos para assistir à projeção em 3-D. Fotógrafos de agências internacionais bateram a foto de família. Cannes põe óculos especiais para entrar na terceira dimensão… Imagino que a foto deva chegar, ou já esteja disponível na internet. O filme vai ter o acréscimo de ‘Altas Aventuras’ ao título original, quando passar no Brasil. O começo é maravilhoso. Com extraordinário poder de síntese, Docter e Lasseter contam a história de um garoto que sonha ser aventureiro até se transformar no velho ranzinza que cinéfilo que se preza já viu no trailer, com certeza. Esse começo é puro drama. Como um gartoto se une a uma menina, casam-se, vivem uma vida inteira juntos e não conseguem realizar seu sonho. Quer dizer… O restante da animação é legal, mas não sei exatamente que palavra usar. Não é ‘convencional’, porque o vilão aqui é muito interessante e nem de longe o que se espera num filme do gênero. Aliás – ‘gênero’. A seleção de Cannes em 2009 vai ser uma celebração do cinema de gênerosd. Começando pela animação, vai ter terror, melodrama, ficção científica… De volta a ‘Up’, a virada para a aventura, quando o velho se une ao garoto, diminuiu um pouco o impacto que teve, para mim, o deslumbrante começo do filme. Mas é bom, mais uma prova da vitalidade da animação atual, a chamada oitava arte. Estou só dando um alôzinho. Vou correr à coletiva do filme, depois tem a do júri. Começou a correria. Estou em casa, graças a Deus!